Machado de Assis, o Rosário e Comida de Criança

Três episódios ocorridos nesta semana em contextos completamente distintos me fizeram chegar a uma conclusão semelhante: não devemos nunca subestimar a capacidade humana propondo-lhe menos do que o que julgamos ser o melhor.

A primeira situação foi em sala de aula. Ao iniciar o trabalho a respeito de narrativas, a sugestão do livro didático era a leitura de um conto de Machado de Assis – leitura esta que deveria ser feita em casa. Normalmente os alunos torcem o nariz quando têm que ler mais do que um parágrafo… que dirá um conto inteiro? Pois bem, resolvi fazer a leitura em sala. Eles não tinham o texto para acompanhar, apenas os ouvidos bem abertos para escutar minha leitura. Pensei comigo mesma: pode até ser que esta seja a única oportunidade para alguns alunos de “lerem” Machado de Assis; para outros, poderá ser a porta de entrada para o conhecimento deste gênio da literatura brasileira – esta última foi minha viva esperança e principal motivação para a leitura em sala. Para minha satisfação, presenciei surpresa a atenção silenciosa da sala toda enquanto eu lia… Não nego que parte do mérito está em minha coragem de ler um texto relativamente comprido – levou uns 40 minutos para terminar –, mas o fato especial, sem sombra de dúvida, está no talento com que o autor do final do século XIX escrevera seus textos! Não se tratava de qualquer conto, mas um conto de Machado de Assis! O detalhe é que via de regra julgamos os alunos como “incapazes” de apreciar certos textos… Como eles vão poder apreciar se nunca lhes foi dada a oportunidade de conhecer?

A segunda situação diz respeito a um propósito de quaresma que iniciamos aqui em casa como família. Decidimos nos reunir para rezar juntos uma noite por semana, e ontem, depois do jantar, rezamos um terço, com a participação efetiva de todos. Foram 50 Ave-Marias. Cada um de nós, inclusive nossos meninos de 10 e 7 anos, teve a oportunidade de rezar a primeira parte das Ave-Marias, meditando os 5 mistérios do terço, para que os demais respondessem. Novamente poderíamos julgar diante desta situação que “terço é uma oração cansativa e repetitiva para crianças rezarem”… Julgamos erroneamente que crianças são incapazes de rezarem e nos contentamos com menos (1 Pai-Nosso, 1 Ava-Maria e 1 Glória ao Pai é o que imaginamos que está bom para os pequenos…).

Por fim, a comida de criança. Tenho feito para minha filha de 6 meses papinhas com variados legumes e é incrível como ela tem gostado. Por que disse “incrível”? Porque via de regra imaginamos que criança não come bem; depois que vira adulto, é que aprende a comer. É assim que pensamos e é assim que muitas mães agem: não oferecem “comida boa” para os filhos e lamentam que eles não gostem de nada. Criança gosta de doce e salgadinhos embalados… de biscoito recheado e batata frita… de refrigerante e sobremesa. E a lista de junk food poderia ser interminável. Mas será que essas crianças tiveram oportunidade de saborear uma comida de verdade? O paladar de quem somente como “lixo” fica ruim mesmo.

Não devemos nunca subestimar a capacidade humana propondo-lhe menos do que o que julgamos ser o melhor. O melhor da cultura, com bons livros, bons filmes, bons quadros e belas peças de arte! O melhor da comida, com deliciosos legumes e saladas frescas, com frutas suculentas e cereais crocantes!  E, na espiritualidade, o melhor da oração, da prática da caridade e até da abstinência, buscando na rica tradição de nossa Igreja as orações e o apoio para uma vida plena em Deus!

“Eu vim para que todos tenham vida e para que a tenham em abundância!” (Jo 10,10).

Boa semana!

Cristiane

Anúncios

Sobre Cristiane

Cristiane é casada há 12 anos, tem 2 filhos e 1 filha. Atuante na Igreja desde sua juventude, participou de grupos de jovens (em Marília e Campinas, SP), Pastoral Universitária (em Campinas, SP) e Pastoral Familiar (em Niterói, RJ). Formada em Letras e Linguística, no momento trabalha como revisora de livros e artigos e como professora de redação.
Esse post foi publicado em Pais+Filhos. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Machado de Assis, o Rosário e Comida de Criança

  1. Marco disse:

    OI Cris

    Novamente um excelente texto !!
    boa semana !

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s