“Mamãe poderosa”

Bom dia!

“Ao contrário das mulheres comuns, a nova chefe do Yahoo tem como conciliar maternidade e trabalho”. O texto saiu neste último domingo, por Marcelo Mederios no Estadão  (Caderno aliás J7).

Chama a atenção que cada vez mais as mulheres vão ocupando cargos significativos em presidências de grandes empresas como executivas, e mesmo como chefes de Estado. No entanto, apesar do crescimento profissional, que se faz cada vez mais precoce, (a nossa protagonista Marisa Mayer está com 37 anos e grávida), a gravidez continua sendo somente das mulheres. Elas precisam conciliar as atividades profissionais com os compromissos da natureza feminina, assumidos num relacionamento conjugal.

Sem dúvida, para quem vai ganhar 12 milhoes de dólares anuais, o articulista não vê grandes problemas para a contratação de um exército de babás e funcionários para cuidarem dos filhos. Contudo, apesar de tamanho poder, assinala que, Marissa Mayer fez questão de colocar no contrato que seguirá rigorosamente o horário, saindo às 17:30 da empresa para poder jantar com a família todas a noites.

A presença física, a maternidade, não pode ser expressada pela capacidade de “pagar” alguém para exercê-la, mas pela responsabilidade em saber que a participação da pessoa, da mãe, enquanto presencial, é insubstituível. Não se delega afeto!

Vale mencionar que, infelizmente, são raríssimas as mulheres que podem ganhar os milhões de dólares da nossa protagonista e, portanto, é imprescindível que as empresas, cada vez mais possam aderir a políticas administrativas que levem em conta esta inquestionável participação social da mulher onde maternidade e profissão se associam.

Conciliar estas duas atividades exige atitude heróica, com superação de dificuldades incríveis vivenciadas por milhões de mulheres, que não abrem mão da presença maternal, com sacrifícios pessoais impensáveis, para que ainda possam colaborar, ou mesmo sustentar a própria família.

Esperamos que o progresso social possa se refletir também nesta preocupação, que não deve afastar a mulher da alegria da maternidade. Não pode fechar as fontes da vida impondo dificuldades cada vez maiores. Não deve impossibilitar que cada casal possa planejar com liberdade e responsabilidade o crescimento de sua família, como fruto de um amor verdadeiro.

Estaremos no rumo de uma sociedade mais cristã, alegre e investida do amor, quando a mulher sentir-se segura na sua decisão de poder acolher aos filhos, ter condições de participr da sua educação, favorecer o seu desenvolvimento e , ao mesmo tempo, desempenhar as suas funções profissionais de maneira feminina; sem uma competitividade selvagem, onde se rompe o equilíbrio harmonioso do homem e da mulher, com perda para a família e consequentemente da sociedade.

Até mais

Valdir

Anúncios

Sobre vreginato

Casado e tem três filhos. Médico e Terapêuta de Família. Professor de Bioética, Históra da Medicina e Espiritualidade e Mediicna na Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), membro do Centro de História e Filosofia das Ciências da Saúde da Unifesp, Coordenador da Pastoral da Família da Paróquia Nossa Senhora do Brasil
Esse post foi publicado em Familia&Trabalho. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para “Mamãe poderosa”

  1. Alessandra de Angelis disse:

    Simplesmente maravilhoso!!! Concordo com cada linha redigida pelo Dr. Valdir. Parabéns por conseguir expressar tão bem a nossa realidade feminina, junto à família!

    Alessandra de Angelis

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s