Maria

“No coração de Maria, no olhar doce e terno,

Sempre tiveste na vida um apoio materno.

Desde Belém, Nazaré, só viveu para te servir;

Quando morrias na cruz tua mãe estava ali.

Mãe amorosa da Igreja quer ser nosso auxílio

Reproduzir no cristão as feições de teu Filho.

Como ela fez em Caná, nos convida a te obedecer:

Eis aqui os teus servos, Senhor!”

Maria é exemplo de mãe a ser seguido. Jesus sempre teve seu apoio materno – como diz este trecho da música “Quando teu Pai revelou”. Sempre servindo seu Filho, é para nós exemplo de entrega. Sua vida nunca mais foi a mesma. Desde o momento em que aceitou ser mãe de Jesus, passou a viver segundo esta decisão, em Belém, Nazaré e até aos pés da cruz.

A vida de uma mulher muda consideravelmente depois que tem seu primeiro filho. E é natural que seja assim. A dedicação aos cuidados de um bebê e, depois, ao longo da vida os cuidados que cada filho necessita, em termos de alimentação, roupa, atenção, tempo, transformam a vida da mulher. Agora ela é mãe! E sua vida é revertida em dedicação ao(s) filho(s).

E nessa doação a mulher encontra a razão de sua vida. Quem nega isso e foge de suas responsabilidades de mãe acaba sofrendo. Maria se realiza como pessoa sendo mãe de Jesus – cuidando dele, ensinando-o a andar, a falar, a rezar. Não sejamos ingênuos imaginando que, porque era Deus, Jesus não precisava aprender. Ele era homem também! E, como homem, viveu em plenitude sua humanidade, sendo criança, precisando ser educado por seus pais, precisando de alimentação, roupa e tudo o mais. E, nesse sentido, Maria teve um papel fundamental na vida dele, assim como nós mães somos chamadas a ter na vida de nossos filhos.

“Como em Caná, nos convida a te obedecer…” Que possamos aprender cada dia mais com Maria a obedecer aos preceitos de Deus em nossa vida, especialmente, em nossa vida como mães (e pais). Neste começo de ano, em que nossos corações estão renovados pelo Natal que acabamos de celebrar e pela força dos bons propósitos que fizemos para viver uma vida nova, possamos olhar para Maria e ver nela a figura de quem sempre se doou, sempre obedeceu e, por causa disso, viveu em plenitude a missão de ser Mãe de Jesus, de tal forma que, muitos nos depois, a própria Igreja a reconheceu e denominou “Mãe de Deus!”.

Abraço fraterno,

Cristiane

Anúncios

Sobre Cristiane

Cristiane é casada há 12 anos, tem 2 filhos e 1 filha. Atuante na Igreja desde sua juventude, participou de grupos de jovens (em Marília e Campinas, SP), Pastoral Universitária (em Campinas, SP) e Pastoral Familiar (em Niterói, RJ). Formada em Letras e Linguística, no momento trabalha como revisora de livros e artigos e como professora de redação.
Esse post foi publicado em Pais+Filhos. Bookmark o link permanente.

2 respostas para Maria

  1. lutfe disse:

    Meu, bem legal este texto… Que o Espírito Santo continue derramando sobre sua vida os dons e as virtudes da sabedoria… Fique com Deus, Lutfe

  2. vreginato disse:

    Cristiane

    É necessária uma nova onda de motivação a maternidade. A Europa após décadas de afastar a idéia da maternidade da mulher, colhe frutos amargos agora com uma população bastante envelhecida, além de todos os problemas a ele relacionados.

    Que este teu trecho seja ponto de reflexão para as mulherees que se encontram preparadas para assumir este dom maravilhoso da maternidade.

    Valdir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s