Linchamento

Amigos,tudo bem com vocês?

Eu espero que sim!!!

O festa de Natal vai se aproximando, o trânsito piora consideravelmente, o comércio tenta aproveitar à epoca do ano para vender mais (o que é louvável, por um lado, já que é este comércio que gera empregos e da dignidade a muita gente, lembrando é claro que não é este o espírito do Natal), as pessoas estão bem mais apressadas, o que era para ser um momento de reflexão vira um momento de confusão…

As pessoas lembram pouco do nascimento de Jesus.

Ontem a tarde, vi uma notícia que me impressionou, na segunda-feira a noite um motorista de ônibus passou mal, perdeu a direção, bateu em diversos carros e quando parou foi linchado por pessoas que estavam em um baile funk.

O que estas pessoas tinham em comum comigo é que, em algum momento da vida delas, elas não conheciam Jesus Cristo. Fui batizado depois de adulto…

Ah, se as pessoas conhecessem Jesus….

Amigos, devemos orar muito para que Jesus Cristo ilumine a vida de todos os que não O conhecem para que, um dia, para glória de Deus, venham a conhecê-lo e louvá-lo. Viviríamos a paz se a palavra de Deus reinasse entre nós. Se as pessoas conhecessem Jesus, o espaço para as obras do demônio não existiria.

Rezemos pela alma e pela família do motorista que se foi. Que estas tragédias deixem de acontecer um dia.

Fiquem com Deus,

Lutfe

Anúncios
Esse post foi publicado em Rezar em Familia. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Linchamento

  1. Luiz Coelho disse:

    Bom dia…tive uma semana corrida e só agora pude ler os textos da semana…Em particular este do Lutfe me chamou, novamente, a atenção pela frase :
    “Se as pessoas conhecessem Jesus, o espaço para as obras do demônio não existiria.”

    O termo “obras do demônio” já foi tratado neste blog…..ele sempre me soou como sendo uma cômoda utilização de transferir os próprios erros e vícios a um terceiro, no caso para o “bode espiatório”…

    Lendo, agora, algumas passagens da bíblia, vejo que a expressão “demônio” ou “demônios”; é sempre relacionada com outra palavra ..“expulsão”.. do corpo de alguém, ou seja, o(s) “demônio(s)” estão dentro das pessoas, e para curá-las, Jesus expulsáva-os…

    Na “expulsão” do(s) demônio(s), Jesus reprimia os sentimentos nocivos e as condutas reprovatórias das pessoas, fazendo aflorar nelas as virtudes, os preceitos cristãos e o bom senso; todos inerentes ao próprio ser humanos; e não de terceiros.

    Não encontrei nada sobre “espíritos” livres, com exceção dos quarenta dias de Jesus jejuando no deserto, onde o “demônio” o “levava” para o caminho do pecado…Mas será que foi mesmo assim ?….Reli algumas vezes esta passagem tendo em mente que Jesus se utilizava de figuras de linguagem em suas histórias para melhor esclarecimento da população da época….. o que me levou a pensar em outra abordagem..

    Não existe um “agente externo” que nos leva a fazermos algo errado…Se fazemos ou deixamos de fazer algo, é de nossa única e exclusiva responsabilidade, e não devemos culpar um “demônio” pelos nossos pecados; e não ser que nós sejamos ele próprio !!

    Jesus sabia que era o filho de Deus, sabia que era possuidor de dons maravilhosos, sabia de sua superioridade, etc….e como homem de carne e osso que era, também teve suas “fraquezas humanas”… A narrativa, relata que até Ele se viu tentado pelos “prazeres terrenos”; sendo “levado” a pensar equivocadamente em como proceder. Isso não ocorreu devido a intervenção de um “demônio”, mas sim pela Sua “imperfeição” humana de instintos e sentimentos diversos e conflitantes; entretanto, Ele nos mostrou que é possível não sucumbiu as nossas fraquezas.

    “Então os discípulos lhe perguntaram em particular: Por que não pudemos nós expulsar este demônio? Jesus respondeu-lhes: Por causa de vossa falta de fé. Em verdade vos digo: se tiverdes fé, como um grão de mostarda, direis a esta montanha: Transporta-te daqui para lá, e ela irá; e nada vos será impossível. Quanto a esta espécie de demônio, só se pode expulsar à força de oração e de jejum.” [Mateus 17, 19-20].

    A frase : “somos um povo santo e pecador”…trás a ideia de que o temos virtudes e defeitos; possuímos sentimentos nobres e outros reprováveis. Os nossos “demônios”, ou as nossas más condutas ( pensamentos, palavras, atos e omissões); fazem parte da nossa essência material. Nossa jornada terrena consiste em aprendermos a subjulga-las, com fez Jesus.

    Linchar pessoas, crucificar Jesus, etc…. Ainda temos uma longa jornada de evolução a ser percorrida….,não podemos desanimar, pois ao final do percurso, Deus estará lá para nos presentear pelo trajeto realizado.

    Abraço

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s