O trabalho da lã e do linho

As leituras do último domingo convidam a uma reflexão sobre diferentes aspectos da questão do trabalho. No Evangelho de S Mateus (25, 14-30) apresenta a parábola dos talentos em que três homens recebem cinco, doi e um talento e cada um deve prestar contar ao empregador ao término de um período. Bastante conhecida, vemos nos talentos todos os dons que recebemos de Deus e como os utilizamos a serviço do Reino de Deus.

Na carta de São Paulo aos Tessalonicenses temos a advertência do Apóstolo para que “não durmamos, como os outros, mas sejamos vigilantes e sóbrios.” (1Ts 5, 1-6). Estas condições de vigilância e sobriedade, para não ficar “dormindo”, são condições para que estejamos atentos ao trabalho que o Senhor nos pede.

No entanto, é na primeira leitura do Livro dos Provérbios (Pr 31, 10-13. 19-20.30-31) que encontramos uma passagem perfeitamente adequada a santificação do tranbalho em família.

” Uma mulher forte, quem a encontrará? Ela vale muito mais do que as jóias. Seu marido confia nela plenamente, e não terá falta de recursos.(…)  Procura lã e linho, e com habilidades trabalham suas mãos.(…) Abre suas mãos aos necessitados e estende suas mãos aos pobres. O encanto é enganador e a beleza passageira; a mulher que teme ao Senhor, essa sim, merece louvor. Proclamem o êxito de suas mãos, e na praça louvem-na as suas obras!”

Evidentemente, guardada as devidas adaptações da lã e do linho, as atividades de trabalho da mulher atualmente, não podemos deixar de perceber a valorização do trabalho que se faz em comunhão no lar ou fora dele, de modo temente ao Senhor, ou seja na santificação de suas ações. Aí está uma beleza que não é passageira ou enganadora. Nesta condição se assenta a confiança do marido e a alegria do lar.

Esta breve passagem faz parar para  pensar o quanto muitas vezes nos deixamos levar pelas “belezas transitórias e enganadoras” que são conquistadas por posições de destaque. Elas sufocam, e as vezes humilham, aquelas que no silêncio de suas atividades domésticas, junto a troca de fraldas dos filhos, do almoço de domingo, da limpeza diária,  do congestionamento para levar e buscar os filhos na escola, ou levar a uma consulta médica, de noites de insônia pela febre que não passa, não são apreciadas ou valorizadas, pela falta de “títulos”.

Os pais devem, marido e mulher, cada vez mais valorizar estas tarefas do cotidiano familiar, onde  a participação do homem da casa seja considerada uma responsabilidade assumida e não somente uma “ajuda” quando tiver concluído “todas as suas atividades de trabalho exteno” e obtido o seu “merecido descanso”. O que sobra pode dar uma “mãozinha”. O trabalho em família deve ser considerado com toda a nobreza a que se direciona, por se tratar de matéria de santificação para o cristão e de formação de pessoas (pai e filhos), na família.

Deixo como proposta da semana que os casais procurem os seus “novelos de lã e de linho”, e não os deixem encostados num canto da casa. Que saibam ver a beleza dos esposos nestas atividades simples, e não se façam enganados pelas belezas equivocadas que nos afastam de Deus.

Bom trabalho a todos.

PS. Amanhã é feriado, mas o trabalho em família é como o bater do coração, sempre estará presente.

Valdir

Anúncios

Sobre vreginato

Casado e tem três filhos. Médico e Terapêuta de Família. Professor de Bioética, Históra da Medicina e Espiritualidade e Mediicna na Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), membro do Centro de História e Filosofia das Ciências da Saúde da Unifesp, Coordenador da Pastoral da Família da Paróquia Nossa Senhora do Brasil
Esse post foi publicado em Familia&Trabalho. Bookmark o link permanente.

3 respostas para O trabalho da lã e do linho

  1. Valdir,
    Aquela que usa o talento, fazendo das tarefas cotidianas um ato de amor, certamente é virtuosa, é “bonita” – para usar um termo mais moderno. E se trata de um beleza que vem de dentro. Isso vale também para o esposo. Gostei muito quando você chama a atenção para o nosso vocabulário: o esposo não deve ser aquele que “ajuda”, mas aquele que divide os trabalhos. Os dois são correponsáveis por um lar organizado e feliz (ou virtuoso e belo).
    abraço,
    Cristiane

  2. Luiz Coelho disse:

    Boa noite…

    As parábolas dos talentos e os termos “vigilantes e sóbrios” ou até o conhecido “vigiai e orai”; se completam no sentido de que SIM, devemos nos valer das virtudes que temos, e da melhor maneira possível devemos nos situar de como e onde utiliza-las….

    Entretanto o terceiro texto ( do livro dos provérbios ) me pareceu bem antagônico aos outro dois e de extrema soberba ( oposto da humildade )…

    ” Uma mulher forte, quem a encontrará? Ela vale muito mais do que as jóias. Seu marido confia nela plenamente, e não terá falta de recursos.(…) Procura lã e linho, e com habilidades trabalham suas mãos.(…) [ COMPARANDO A ESPOSA A UMA ESPÉCIE DE UM BEM SOB POSSE DO MARIDO, QUE LHE PROPORCIONARÁ VANTAGENS ECONÔMICO-MATERIAIS ]

    “Abre suas mãos aos necessitados e estende suas mãos aos pobres.” [ ÚNICA PARTE COERENTE, DESDE QUE FEITA DESPOJADAS DE INTERESSES ]

    “O encanto é enganador e a beleza passageira”; [ CONCEITO DEPRECIATIVO DE QUE MULHERES BELAS E ENCANTADORAS “ENGANAM” OS HOMENS…COMO ASSIM FEZ EVA COM ADÃO E OUTRAS LITERATURAS DA ÉPOCA.. ]

    ” a mulher que teme ao Senhor, essa sim, merece louvor.” [ SERÁ ISSO SOBERBA ?….”Não são os que têm saúde que precisam de médico, mas sim os doentes. Vão aprender o que significa isto: ‘Desejo misericórdia, não sacrifícios’. Pois eu não vim chamar justos, mas pecadores”. Mateus 9:12-13 ]

    ‘Proclamem o êxito de suas mãos, e na praça louvem-na as suas obras!” [ SERÁ QUE PROCLAMAR E LOUVAR EM PRAÇA AS CONDUTAS E AÇÕES FEITAS SOB O MANTO DO TEMOR DO SENHOR, É CORRETO ? ]

    “O prêmio da humildade é o temor do Senhor, a riqueza, a honra e a vida.” (Provérbios 22,4)

    “Portanto, como eleitos de Deus, santos e queridos, revesti-vos de entranhada misericórdia, de bondade, humildade, doçura, paciência.” (Colossenses 3,12)

    “Todos vós, em vosso mútuo tratamento, revesti-vos de humildade; porque Deus resiste aos soberbos, mas dá a sua graça aos humildes (Pr 3,34).” (I São Pedro 5,5)

    Fiquemos vigilantes e sóbrios….pois como bem disse o Marco em seu ultimo post….” Ser cristão é servir”…

    “Tende cuidado em não praticar as boas obras diante dos homens, para serem vistas, pois, do contrário, não recebereis recompensa de vosso Pai que está nos céus. -Assim, quando derdes esmola, não trombeteeis, como fazem os hipócritas nas sinagogas e nas ruas, para serem louvados pelos homens. Digo-vos, em verdade, que eles já receberam sua recompensa. – Quando derdes esmola, não saiba a vossa mão esquerda o que faz a vossa mão direita; – a fim de que a esmola fique em segredo, e vosso Pai, que vê o que se passa em segredo, vos recompensará.” – (S. MATEUS, cap. VI, vv. 1 a 4.)

    O trabalho para confeccionar as “roupas” feitas com os “novelos de lã e de linho” do casal, devem apenas ser verdadeiramente apreciadas por aqueles que as fizeram, para quem elas foram feitas….e por Deus !

    Abraço.

    • vreginato disse:

      Luiz

      Os seus comentários quanto aos versículos do Livro dos Provérbios das Sagradas Escrituras parecem-me demasiado desproporcionais ao que o “divino autor” pretendeu dizer valorizando a mulher como jóia , que não é posse como objeto, e muito menos falando mal daquelas que são belas pela natureza além do coração virtuoso. A advertência se presta para o engano quanto a maquiagem das aparências, assim eu o vejo, de quem cativa pela vitrine sem conteúdo das ações.

      Abraço

      Valdir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s