Como vemos o Halloween?

Sempre que se aproxima esta época do ano, enfrentamos algumas dificuldades com relação a questionamentos sobre o dia do Halloween (31 de outubro). São muitas as polêmicas que surgem nas escolas, em função da maneira como se enxerga esta festa. Muitos há que insistem tratar-se apenas de uma questão cultural; outros, porém, vêem nela um incentivo a práticas de bruxaria ou outras de ordem esotérica. Para esclarecer um pouco sobre a origem desta comemoração, transcrevo abaixo um trecho de um livro do Prof. Felipe Aquino:

O Halloween é uma festa muito comum nos EUA e Europa e é celebrada no dia 31 de outubro. A comemoração veio dos antigos celtas (povo que habitava a Grã-Bretanha há mais de 2000 anos). Eles realizavam a colheita nessa época do ano, e segundo um antigo ritual desse povo, os espíritos das pessoas mortas voltariam à terra durante a noite, pois queriam, entre outras coisas, se alimentar e assustar às pessoas.

Com isso, os celtas costumavam vestir máscaras assustadoras para afastar esses espíritos. Esse episódio era conhecido como “Samhaim”. Com o passar do tempo, os cristãos chegaram à Grã-Bretanha, e converteram esse povo [os celtas] ao Catolicismo. Com isso, a Igreja Católica transformou este ritual pagão em uma festa religiosa, que passou a ser celebrada nesta mesma época e, ao invés de honrar espíritos e forças ocultas, o povo recém- catequizado deveria honrar os santos, daí veio o “All Hallows Day”: o Dia de Todos os Santos.

Mas, a tradição entre esses povos continuou, e além de comemorarem O Dia de Todos os Santos, eles celebravam também a noite da véspera desse dia, com máscaras assustadoras e comida. Esta noite era conhecida como “All Hallows Evening”, a qual, ao ser abreviada com o passar do tempo, passou a chamar-se Halloween.

Vemos, dessa forma, que a tradição de se comemorar as bruxas ou outros espíritos não é cristã e deve ser evitada, ainda que tenha apenas uma conotação folclórica. Devemos, sim, celebrar o Dia de Todos os Santos.” (Livro “Falsas doutrinas, seitas e religiões”, Prof. Felipe Aquino, Editora Cléofas, 12ª edição, 2010)

Devemos, portanto, orientar nossos filhos sobre a questão, explicando-lhes que não é conveniente ao cristão participar das comemorações deste dia, ainda que muitos insistam ser apenas um evento cultural. Muitas crianças chegam a desenvolver comportamentos de medo diante das práticas que são propostas para viver neste dia. Sejamos, pois, firmes na nossa posição de evitar tais práticas, preparando nossos filhos para poderem escolher maduramente o que querem seguir.

 

Abraços e até a próxima semana.

 

Heraldo

 

Anúncios
Esse post foi publicado em Pais+Filhos. Bookmark o link permanente.

3 respostas para Como vemos o Halloween?

  1. Luiz Coelho disse:

    Boa noite…
    Uma grande interrogação pairou sobre minha cabeça depois de ler o texto acima…

    “Vemos, dessa forma, que a tradição de se comemorar as bruxas ou outros espíritos não é cristã e deve ser evitada, ainda que tenha apenas uma conotação folclórica. Devemos, sim, celebrar o Dia de Todos os Santos.”

    Como bem explicado da origem da palavra…vemos que o termo “Dia das bruxas” não é utilizado pelos povos de língua inglesa, sendo essa uma designação APENAS e ERRONEAMENTE dos povos de língua (oficial) portuguesa.

    “Folclore é a ciência das tradições e usos populares, constituído pelos costumes e tradições populares transmitidos de geração em geração. Todos os povos possuem suas tradições, crendices e superstições, que se transmitem através de lendas, contos, provérbios, canções, danças, artesanato, jogos, religiosidade, brincadeiras infantis, mitos, idiomas e dialetos característicos, adivinhações, festas e outras atividades culturais que nasceram e se desenvolveram com o povo.
    A UNESCO declara que folclore é sinônimo de cultura popular e representa a identidade social de uma comunidade através de suas criações culturais, coletivas ou individuais, e é também uma parte essencial da cultura de cada nação.” ( Wikipedia )

    Me parece existir aqui uma aversão as manifestações folclóricas de origem não cristã…ou seja, lenda do nosso folclore como o Boitatá, O boto, o Curupira, o saci…..não deveriam ser apreciadas…..e o que dizer da lenda do Negrinho do Pastoreio ?

    “Devemos, portanto, orientar nossos filhos sobre a questão, explicando-lhes que não é conveniente ao cristão participar das comemorações deste dia, ainda que muitos insistam ser apenas um evento cultural. Muitas crianças chegam a desenvolver comportamentos de medo diante das práticas que são propostas para viver neste dia.”

    Não é questão de insistir….é sim apenas um evento folclórico cultural..pois a muito não é mais uma data religiosa, mas sim apenas um evento lúdico !!!

    Meu filho de cinco anos, veio com um comunicado da escola dizendo que as crianças da sua sala poderiam vir fantasiadas nesta segunda-feira ( apenas isso….fantasias ! )……e eu perguntei a ele :
    – Voce quer ir fantasiado ? ( e ele respondeu )
    – Sim !
    – Do que você gostaria de ir fantasiado ?
    – De Batman !
    – Batmam ?….( perguntei intrigado )..Mas ele é um super-heroi !!!
    – Eu sei pai…mas ele também é um morcego, que faz parte do Halloween !!!……. ( ao que tive de concordar ! )

    ..O problema está, como em muitos casos, na visão preconceituosa e desinformada que os adultos encaram certos fatos e os transferem com uma carga desvirtuada para seus filhos……Onde existe apenas luz, existirão sempre aqueles que ainda irão procurar pelas trevas…..

    Quanto a interrogação ??…..Devemos acabar com as comemorações das nossas lendas brasileiras por não terem origem cristã ?

    Abraço

  2. Familia Guarita disse:

    Acho que devemos incentivar o positivo, por exemplo vcs conhecem a campanha do Facebook sobre o dia de Todos os Santos? Dêem uma espiada la. Interessante conhecer santos que eu nem sabia que existia.

  3. Luiz Coelho disse:

    Bom dia…

    “….devemos incentivar o positivo..” ……meio amplo e subjetivo o comentário !!!!

    Vejamos…sobre o folclore….acredito que muitos devem estar mais familiarizados com os folclores estrangeiros do que os nacionais..então o que pensar dos clássicos desenhos da Disney inspirados em contos e lendas da Europa medieval ? O que dizer dos animais falantes ?

    O pai de uma menininha terá então de proibi-la de ver os desenhos das princesas pois :

    – Branca de neve tem a madrastra que vira uma bruxa
    – A bela adormecida tem a Malévola que é uma bruxa
    – Cinderela tem a fada madrinha ( bruxa boa )
    – A pequena sereia é uma figura folclórica
    – A bela e a fera é pura “bruxaria”
    — etc
    ( Será que Walt Disney era um feiticeiro como Harry Potter ??? )

    O que será positivo para um pai dizer a filha pequena: a) A Disneylandia é um lugar que não lhe fará bem pois tem muita bruxaria ?…b) Filha, você não pode se fantasiar de princesa pois não é correto ? ( ou seja, você não é uma princesa )…..ou dirá….c) Você pode se fantasiar de princesa, mas jamais de fada madrinha, bruxa, etc !!

    Não existe diferença nestes casos com o do relatado no texto ….apenas aceitamos uns e recusamos outros, por justificativas pessoais e preconceituosas ….

    Aonde sobra superstição e exagero, falta em bom senso e conhecimento !!

    Abraço

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s