O sacerdócio do pai de Santa Teresinha

No dia 1º de outubro a Igreja celebra a Memória de Santa Teresinha do Menino Jesus. Filha do casal Zélia e Luiz Martin, beatificados em outubro de 2008, certamente teve sua vocação iluminada pelo testemunho de santidade dos pais, juntamente com as outras quatro irmãs mais velhas que também realizaram sua vocação por meio da consagração religiosa. Transcrevo abaixo um trecho do livro “Um casal especial – Os pais de Santa Teresinha”, do Frei Patrício Sciadini (ocd), falando sobre o sacerdócio paterno de Luiz Martin.

“Luiz Martin exerceu em plenitude seu sacerdócio paterno com as filhas. Cuidou e acompanhou o desenvolvimento vocacional de cada uma delas, oferecendo-as a Deus por meio da consagração religiosa. Já foi mencionado anteriormente que ele e a esposa desejavam na juventude consagrarem-se ao Senhor na vida religiosa, porém o destino mostrou-se diferente daquilo que idealizavam. Foram suas filhas, quando crescidas, que realizaram aquele grande sonho. Luiz nunca soube dizer não a Deus, assim não guardou as filhas para si e entregou-as a Ele para viverem uma vida religiosa no Carmelo e nas Visitandinas.

Nada mais consolador para um pai que ver seus filhos e filhas tomarem o caminho do altar. Hoje em dia, muitos filhos não são consagrados a Deus na vida religiosa ou no sacerdócio por causa da resistência dos pais, como se seguir Jesus Cristo com radicalidade e se colocar a serviço de Deus e dos irmãos fosse uma mancha e pecado. Nada mais belo para um pai e uma mãe que ver alguém da família escolher a Jesus Cristo.

Na casa dos Martin se falava muito do Carmelo e da vida que as monjas levavam. Luiz inclusive costumava presentear as monjas, que não comiam carne, com os peixes que pescava nos rios da Normandia.

Mas os mais belos peixes que Luiz ofereceu ao Carmelo foram suas quatro filhas, que uma a uma levantaram vôo dos Buissonnets (lugar onde moravam em Lisieux, cuja tradução é pequeno bosque) para o Carmelo.

A fé e dedicação do pai, sempre calmo e tranqüilo, formou o caráter dócil e meigo de todas as suas filhas.” (págs. 105 e 106 do livro citado)

Teresinha entrou para o Carmelo de Lisieux com apenas 15 anos de idade. Exercitou-se de modo singular na humildade, na simplicidade evangélica e confiança em Deus, virtudes que também procurou inculcar nas noviças de seu mosteiro.

“Lembra-te do domingo ensolarado

Em que, estreitando-a em teu coração paterno,

Deste-lhe uma florzinha branca,

Permitindo-lhe voar para o Carmelo,

Lembra-te, Pai, de que em suas provações,

Só lhe destes de amor belas demonstrações.”

(Trecho da Poesia de Santa Teresinha a seus pais, 1894)

Santa Teresinha do Menino Jesus, rogai por nós!

Abraços e até a próxima semana.

Heraldo

Anúncios
Esse post foi publicado em Pais+Filhos. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s