RETIRO ESPIRITUAL: REABASTECER

Caríssimos leitores

Excepcionalmente gostaria de escrever esta semana sobre um acontecimento pessoal recente, ainda que não tenha ocorrido pela primeira vez, ou seja fato novo.

Retorno de um Retiro Espiritual no último fim de semana e pensei em lembrar a todos desta prática que acompanha a história da Igreja ao longo dos séculos.

Desde o tempo em que o próprio Cristo vivia com os Apóstolos já se encontram vários episódios desta sua necessidade de retirar-se para o deserto. Principalmente antes do início de uma atividade nova, ou decisão marcante. Cristo procurarva retirar-se para estar com seu Pai.  Assim ensinou aos Apóstolos quando após duras jornadas , convidava-os a retirar-se.

O retiro Espiritual é este encontro íntimo que fazemos com o Senhor de modo isolado. Ainda que a presença de Deus deva ser constante na vida do cristão, é justo que reservemos um tempo especial somente para Ele. 

Nestes dias que podem durar dois ou três, excepcionalmente um pouco mais,  estaremos a sós com Deus  para poder fazer uma ampla revisão de nossa vida, fortalecer a fé, e reabastecer as baterias para poder voltar ao mundo de modo renovado. Portanto, é interessante que o retiro se faça com certa periodicidade, uma vez ao ano, quem sabe, para que o tempo não fique tão distante.

E para que nos retiramos? Como dissemos, antes de mais nada para estar com Deus. Assim é necerssário, em primeira instância, nos afastarmos de certo modo das nossas preocupações presentes, que muitas vezes funcionam como uma cortina para que não enxerguemos a nossa vida espiritual. Limpar os horizontes, ainda que possam muitas situações estarem “pegando fogo”.

O retiro, ainda que colabore muito para solucionar isso, não é para resolvermos os problemas imediatos que estamos afastados, como que dar um tempo de fôlego para poder por os problemas em ordem. E então deixamos tudo para pensar só nisso.

O retiro não é para projetarmos o nosso futuro diante das circunstâncias presentes, procurando ver aonde podemos chegar. Propor metas a exemplo do crescimento de uma empresa, simplesmente.

Em primeiro momento o retiro é para ouvir a Deus no silêncio do coração. Abrir as portas para Deus e permitir, solicitar que Ele entre e fale. Colocar-se a disposição de Sua Palavra. Esforçar-se por fazer com que Ele seja o mais importante que temos a viver. E diante de Sua presença tudo será mais claro. Tudo se apresentará diferente.

Vamos ao retiro com o desejo de encontrar a Deus, na certeza que Ele nos aguarda e cabe a nós abrirmos o coração. E para isto a oração é fundamental. O solo sagrado que pisamos nos dias de retiro: Oração.

É fato que todos os assuntos mencionados acabarão por vir a tona: problemas familiares, profissionais, econômicos. Perturbações interiores da fé  e da esperança. “Reclamações” com o Senhor,… Mas tudo isto será melhor assistido quando passamos a examiná-los após termos aberto a porta a Deus. Diante Dele tudo se apresenta diferente e renasce a esperança de soluções melhores, e verificar que de fato alguns problemas sequer existiam.

É verdade que muitos dizem que não conseguem ouvir ninguém. Diríamos que é necessário rever a paciência que nos vai sendo esquecida neste mundo de velocidades. Outros se angustiam porque acreditam já terem sido esquecidos por Deus e não o ouvem. Não é verdade, ainda que uma mãe esqueça o filho que amamenta, Ele não se esquecerá nunca de nós, nos afirma em Isaías.

O retiro espiritual é feito em todas as congregações, nas igrejas…. Com variáveis de roteiro segundo os costumes de cada um. Contudo, não pode faltar em todas as formas este encontro tu a Tu, pessoal com o Senhor.

Recomendo, vivamente, que aqueles que ainda não o fizeram, não deixem de fazê-lo ainda este ano. Procurar um sacerdote que possa encaminhá-lo, ou um amigo que possa acompanhá-lo será a trilha necessária para reabastecer as baterias da fé e permanecermos na alegria de nos considerarmos filhos de Deus!

Até a semana

Valdir

Anúncios

Sobre vreginato

Casado e tem três filhos. Médico e Terapêuta de Família. Professor de Bioética, Históra da Medicina e Espiritualidade e Mediicna na Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), membro do Centro de História e Filosofia das Ciências da Saúde da Unifesp, Coordenador da Pastoral da Família da Paróquia Nossa Senhora do Brasil
Esse post foi publicado em Palavra da Igreja. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s