Correção fraterna

O ato de corrigir uma pessoa diante de uma situação em que ela tenha cometido um erro pode parecer difícil para muitas pessoas, dentro da perspectiva de respeitara liberdade de cada um. Entretanto, a correção de alguém implica em amor por aquela pessoa, pois se assim não o fosse, você a deixaria no erro. Então é preciso exercer sim a atitude da correção fraterna mais na dimensão de possibilitar ao irmão que errou uma chance de rever seu comportamento do que com o intuito de sentir-se consolado por um pedido de desculpas.

No Evangelho de São Mateus (Mt 18, 15-18), Jesus deixou um importante ensinamento sobre a correção fraterna. Ele esclareceu que se um irmão o ofende, você deve corrigi-lo de forma que se ele o ouvir, você terá ganho aquele irmão. Ganhar o irmão implica em responsabilidade por ele; é querer que ele não se perca em seus erros e tenha a chance de se arrepender, mudar de comportamento e ser melhor. Caso ele não queira ouvir a correção, Jesus aconselha chamar uma ou duas pessoas a fim de que a questão se resolva na presença de testemunhas. E caso ele não os queira ouvir, comunique o ocorrido à comunidade local, à Igreja. Se recusar ouvir também a igreja, seja considerado um pagão que não quer ter o compromisso do crescimento na verdade do Evangelho. Vemos neste trecho a importância da hierarquia entre as pessoas, principalmente no tocante à Igreja.

Uma analogia deste trecho pode ser aplicada à vida familiar. Se um membro da casa comete um erro, ele deve ser corrigido pelos demais. Assim, se um irmão erra e é corrigido por outro, deve se sentir impelido a melhorar. A correção fraterna deve sempre implicar em amor para com aquele que lhe ofendeu, não devendo ser apenas uma reação à ofensa recebida. E se o irmão que errou se recusar a ouvir a correção do outro, o caso deve ser levado à autoridade superior do lar, ou seja, aos pais, que lhe farão nova tentativa de correção. Em se negando a ouvir os próprios pais, uma punição de algum tipo lhe será imposta na tentativa de ganhá-lo. Assim sendo, por mais simples que pareçam as atitudes erradas, deve-se exercer a correção fraterna na vida familiar, de modo a proporcionar o crescimento de seus membros.

Abraços e até a próxima semana.

Heraldo

Anúncios
Esse post foi publicado em Pais+Filhos. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Correção fraterna

  1. Cristiane disse:

    Oi, Heraldo,

    Há dois domingos, o padre de nossa paróquia falou da “autoridade natural” que os pais têm sobre os filhos, especialmente para educar e corrigir. Numa dimensão maior, a Igreja tem autoridade para educar e corrigir os fiéis, porque assim Deus a constituiu. E é natural que seja assim. A Igreja é mãe de todos nós…
    Quanto a nós, pais e mães, é preciso exercer nossa autoridade para educar nossos filhos, tendo consciência de que temos a graça para isso. É nossa responsabilidade!
    Gostei muito da maneira como você apresentou o tema, inserindo-o dentro da dimensão de “correção fraterna”. Corrigir para ganhar o outro!
    abraço,
    Cristiane

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s