Educação sexual

A sociedade moderna e secularizada em que vivemos tende sempre a confundir educação sexual com liberação sexual. As programações de nossas redes de televisão, bem como os conteúdos ofertados na internet, têm levado nossa juventude a uma crise de valores como nunca se viu. Passa-se uma imagem de que tudo é permitido, de que não se deve haver “tabus” nesse sentido, principalmente de ordem religiosa.

Não são raros os casos de famílias que desprezam o plano de Deus para a sexualidade humana e incentivam seus filhos logo no primeiro despertar da puberdade a terem suas experiências sexuais, julgando que assim estão colaborando para seu amadurecimento. Comportamento comum em muitas famílias é o de não se falar sobre o assunto, deixando isto para as escolas. Conseqüência destes tipos de atitudes são as milhares (ou até milhões) de adolescentes grávidas, sem a mínima maturidade para assumir a maternidade da maneira como ela deve ser assumida. Muitas até acabam optando para a terrível alternativa do aborto destes novos seres.

Urge que as famílias cristãs ensinem seus filhos sobre a beleza da sexualidade humana conforme pensada pelo Criador e também em sintonia com os ensinamentos da Mãe e Mestra Igreja. Assim, os filhos aprenderão que o Criador lhes pensou sexuados para que pudessem colaborar com Ele na criação, ou seja, os pensou com esta sublime dignidade e conseqüente responsabilidade. Além desta função procriativa, aprenderão que a sexualidade tem também a importante função de unir intimamente o homem e a mulher no verdadeiro amor, num gesto de doação máxima um ao outro. O único lugar estável onde isto pode acontecer é dentro do casamento, pois somente nele existe comprometimento de um com o outro para sempre. E saberão também que a maneira de viver a sexualidade humana é através da castidade, virtude esta que não significa castração ou impedimento da vida sexual. “A castidade é uma virtude moral. É também um dom de Deus, uma graça, um fruto da obra espiritual. O Espírito Santo concede o dom de imitar a pureza de Cristo àquele que foi regenerado pela água do Batismo.” (CIC, 2345)

Na Exortação Apostólica Familiaris Consortio (FC), o Papa João Paulo II mencionou importantes ensinamentos para a vida familiar e a educação sexual dos filhos. Eis um trecho deste documento:

“O conhecimento deve conduzir a educação para o autocontrole: daqui a absoluta necessidade da castidade e da permanente educação para ela. Segundo a visão cristã, a castidade não significa de modo algum nem a recusa nem a falta de estima pela sexualidade humana: ela significa antes a energia espiritual que sabe defender o amor dos perigos do egoísmo e da agressividade e sabe voltá-lo para sua plena realização.” (FC, 33)

É importante ensinar aos filhos sobre as consequências de uma vida sexual precoce, antes e fora do casamento, com os riscos que tal atitude pode envolver, a saber, de uma gravidez também precoce, dos riscos de adquirir doenças sexualmente transmissíveis, dos traumas de relações mal realizadas sem o verdadeiro amor e o compromisso, entre outros. É preciso mostrar-lhes que o plano de Deus é o melhor para eles e o único meio de viver bem a sexualidade, gerando felicidade para ambos no casamento. Deus ao revelar aos homens o sexto mandamento “Não pecar contra a castidade” estava pensando no bem dos seus filhos muito amados.

Lutemos, portanto, com todas as nossas forças pela educação sexual de nossos filhos dentro do plano divino e em conformidade com as verdades ensinadas pela Igreja. Sabemos que esta luta é árdua, mas com certeza colheremos os frutos que ela nos proporcionará.

 

Abraços e até a próxima semana.

 

Heraldo

Anúncios
Esse post foi publicado em Pais+Filhos. Bookmark o link permanente.

2 respostas para Educação sexual

  1. Luiz Coelho disse:

    Bom dia…

    Educar : instruir, adestrar, domesticar, aperfeiçoar.

    Acredito que todas as pessoas, de todas as idades e culturas, podem e devem estar receptivas a novos conceitos e novos aprendizados ! O Ser humano está constantemente errando ( como vimos no post desta semana )…e constatar seus erros, e querer se aperfeiçoar; é o primeiro passo para a saída da cômoda zona de conforto inercial da mediocridade e da arrogância da pseudo-sabedoria; e o caminho para a verdade divina.

    “Tereis muito cuidado em praticar tudo o que hoje vos prescrevo, para que possais viver e multiplicar-vos, e entrar na possessão da terra que o Senhor jurou dar a vossos pais. (Deuteronômio 8,1)

    “..Muito cuidado em praticar tudo o que hoje vos prescrevo….”…Deus sabedor de nossa evolução espiritual e intelectual; alerta-nos dos equívocos que cometeremos em aplicar as suas palavras sem critério algum…sem usarmos nossa inteligência e discernimento dados por Ele!

    As famílias estão muito preocupadas em deixar herdeiros como legado ao mundo ( multiplicai-vos); mas pouco focas nas suas responsabilidades e obrigações paternas e humanitárias; acabam criando filhos físico, moral ,espiritual (e no caso do post) sexualmente “despreparados” !!

    A educação sexual, não é exceção a regra ! O texto relata casos de “filhos”.. e quanto aos “pais” que mesmo já algum tempo iniciados na vida sexual, acreditam serem conhecedores do assunto, mesmo sem terem tido orientação e instrução à respeito ?….Como irão educar seus filhos ? Com os mesmos vícios e erros que aprenderam erroneamente, ou nem aprenderam, mas que julgam ser corretos ?

    Abs.

  2. Luiz Coelho disse:

    Será essa uma das “soluções” possíveis ?

    http://noticias.terra.com.br/educacao/noticias/0,,OI5348292-EI8266,00.html

    Abs.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s