Conflito de valores

Olá

Quantas vezes em seu trabalho, você precisou (ou foi chamado para) fazer algo que você não concorda ? Tudo isso pelo interesse maior “do bem da empresa”. Tenho certeza que cada um de vocês teria uma história pra contar sobre isso.

Cristo nos dá dicas valiosas sobre este tema. Vejamos alguns de seus ensinamentos:

  • Seja o vosso sim, sim, e o vosso não, não. O que passa disso vem do Maligno.” (Mateus 5,37). Primeiro ponto: você tem que ser autêntico em seus valores e sua fé. Não dá pra ter um pé em cada canoa. Para decidir o que fazer em uma situação polêmica, primeiro você deve saber o que é importante pra você. O maligno mora na dúvida.
  • “estes mostram a norma da lei gravada no seu coração, testemunhando-lhes também a consciência e os seus pensamentos, mutuamente acusando-se ou defendendo-se” (Rm 2.15). Vocês devem conhecer o ditado que diz: “Sua consciência é seu guia”. Ela com certeza esta embasada neste trecho da carta de São Paulo aos Romanos. Sua consciência, baseada em seus valores, deve ser o norte principal de sua conduta do dia-a-dia. Fazer algo que sua consciência não permite é a chave para frustações e posterior agonia.
  •  “os quais, tendo-se tornado insensíveis, se entregaram à dissolução para, com avidez, cometerem toda sorte de impureza” (Ef 4.19). A aceitação de realizar algo contra seus valores pode e irá corromper sua consciência, levando-o a perder os valores que lhe são importantes.

Como exemplo do que falamos hoje, segue um antigo vídeo do Prof Alexandre Freire da FGV, para ilustrar com casos reais o tema abordado hoje

[youtube:http://www.youtube.com/watch?v=9PVeH_Zt468%5D

Boa semana a todos !

Marco

Anúncios

Sobre Marco

Marco é casado com Mariana e tem os pequenos Carol e Rafael. Ele é formado em Tecnologia da Informação, pós graduado em administração e trabalha há 14 anos no mercado corporativo de TI. Atua na Igreja Católica desde a adolescência, participando de grupo de jovens, ministérios de música e equipes de evangelização. Está na pastoral da familia da paróquia Nossa Senhora do Brasil desde 2007, atuando junto às familias e aos casais que buscam o matrimônio.
Esse post foi publicado em Familia&Trabalho. Bookmark o link permanente.

14 respostas para Conflito de valores

  1. Valdir Reginato disse:

    Marco

    Valores! O que é importante é descobrir por que seguimos determinados valores e nos afastamos de outros? Qual o critério que faz com que acreditemos em determinados valores e não em outros? Os valores melhores são de senso comum? Uma questão de bom senso?

    Afinal, onde encontrarmos esta relação de valores corretos? Deixo a questão em aberto, pois a minha resposta será oferecida com base nos meus valores, os quais tenho as minhas convicções para acolhê-los. Gostaria antes de ouvir outros…

    Abraço

    Valdir

  2. Luiz Coelho disse:

    Boa tarde…

    O post em questão, não está analisando apenas valores, mas como eles são interpretados de forma diversa dependo da ótica de quem pede e de quem executa a tarefa !!!

    Um militar sabe que é crime descumprir ordens diretas de seu superior…Não importa a ordem…se ele se prestou a exercer carreira, sabe as consequências de insubordinação diante de um oficial mais graduado que tem uma visão mais ampla da situação de combate e sabe que um conduta “duvidosa” pode, muitas vezes, salvar outras vidas!

    O profissional que está subordinado a algum superior passará, eventualmente, por dissabores como os relatados no vídeo…Muitas vezes por divergências de valores pessoais, outras por desconhecimento da amplitude do negócio da empresa.

    Gênesis 22 ..Passado algum tempo, Deus pôs Abraão à prova, dizendo-lhe: “Abraão! ” Ele respondeu: “Eis-me aqui”. Então disse Deus: “Tome seu filho, seu único filho, Isaque, a quem você ama, e vá para a região de Moriá. Sacrifique-o ali como holocausto num dos montes que lhe indicarei”.

    Vocês matariam seu filho, seguindo uma ordem direta de Deus ? ou pelo menos tentaríam fazê-lo, sem objeções ?……ou se negariam a cumprir tal ordem ???….Teriam suas conciências tranquilas após a recusa ou o cumprimento da tarefa ?

    Abs.

  3. Valdir Reginato disse:

    “Não me falas? Não sabes que tenho poder para Te soltar e também para Te crucificar?” . Jesus respondeu: ” Tu não terias poder algum sobre Mim, se não te fosse dado do alto. Por isso, quem Me entregou a ti tem maior pecado”. (Jo 19, 10-11)

    Todo o poder deriva “do alto”, no entanto , o uso que fazemos dele nem sempre é correto. A algum poder sempre se sobrepõe outro maior, e assim por diante, até que chegue “do alto”. O poder “do alto” é absoluto e não pode ser enganoso, ainda que incompreensível, pois está com a Verdade e a Verdade está em Deus.

    Abraão ouviu o comando da Verdade e assim procedeu. Sem dúvida nele, em Abraão, repousa o mérito desta obediência na Fé, incompreensível no extremo na razão humana. Somente pela fé poderia Abraão obedecer a uma ordem assim, jamais pela razão. O seu valor maior estava no Amor a Deus e assim reagiu em obediência aos seus valores pois, ainda que sem compreender , sabia que estaria agindo da melhor maneira.

    Infelizmente nos falta, a mim o digo, a Fé de Abraão. Assim muitas vezes nos revoltamos pela perda precoce de um ente querido, pela morte de uma criança num acidente inexplicável, pela doença brutal que acomete a um homem que passou a vida fazendo o bem. Aceitar a estas situações com serenidade, é, de certa maneira, ser obediente na Fé aos designos de Deus. A nossa revolta corresponde a desobediência.

    Possamos crescer a cada dia na Fé como a tinha o nosso pai Abraão, e desta sua santa obediência nos resultou a vinda do Messias para a salvação de toda a humanidade.

    Valdir

  4. Luiz Coelho disse:

    “..O poder “do alto” é absoluto e não pode ser enganoso, ainda que “incompreensível, pois está com a Verdade e a Verdade está em Deus..”

    Êxodo 31 12:O Senhor disse a Moisés: 13.“Dize aos israelitas: observareis os meus sábados, porque este é um sinal perpétuo entre mim e vós, para que saibais que eu sou o Senhor, que vos santifico. 14.Guardareis o sábado, pois ele vos deve ser sagrado. Aquele que o violar será morto; quem fizer naquele dia uma obra qualquer será cortado do meio do seu povo. 15.Trabalhar-se-á durante seis dias, mas o sétimo dia será um dia de repouso completo consagrado ao Senhor. Se alguém trabalhar no dia de sábado será punido de morte. ( Há alguma dúvida nesta passagem ? )

    Os valores são eternos ? Ou são constantemente distorcidos, modificados e reajustados devido as convicções e vontades das pessoas no decorrer da história ?

    Segundo o critério apresentado…” O poder “do alto” é absoluto e não pode ser enganoso.”….Os profissionais que trabalham de sábado devem urgentemente mudar de profissão…ou estarão com seus dias contatos..( nada de irmos à restaurantes, cinemas, shows, etc…pois faremos com que pessoas trabalhem e as estaremos condenando a morte !!! )

    Abs

  5. Valdir Reginato disse:

    “Como é que fazem no sábado o que não é permitido?” Ele respondeu: “Nunca lestes o que fez David, quando se viu necessitado , e teve fome, ele e os que com ele estavam? Como entrou na casa de Deus, sendo sumo sacerdote Abiatar, e comeu os pães da proposição, dos quais não era permitido comer, senão os sacerdotes, e deu também aos que o acompanhavam? ” E acrescentou: “O sábado foi feito para o homem e não o homem para o sábado. Por isso o Filho do Homem é Senhor também do sábado”. (Mc 2;24-28)

    Não se poderia perder o valor maior que é a vida pela fome, estando os pães a disposição. Se cumpriria o preceito e se perderia a vida estando o alimento a disposição. O valor da vida só pode ser oferecido quando por algo maior que a própria vida, que é morrer pelo irmão e pelo próprio Deus. “Não há amor maior do que dar a vida pelo irmão”.

    De modo que mantemos o nosso referencial no valor maior, muitas vezes incompreensível, repito, mas que quando procede de Deus pede-nos por Fé que o realizemos.

    “Senhor, aumenta-nos a Fé” pois realmente para nós muitas vezes são duras as palavras do Senhor, mas jamais são enganosas, pois procedem da Verdade que está no poder do alto.

    Valdir

  6. Luiz Coelho disse:

    Podemos continuar, novamente, com o “jogo de palavras bíblicos”…..mas como esse não é o objetivo do blog e antes que o Marco nos dê outro “pito”, apenas para finalizar o “bate-bola”….

    Jesus demonstra com atos de bondade que Ele não transgride o Sábado, e o que Ele fazia era lícito (a caridade). O trabalho, propriamente dito de Jesus não era ser curandeiro ou profeta, e sim carpinteiro, Logo Jesus não trabalhava, em seu ofício, no Sábado, Ele praticava a caridade.

    Estavamos falando de trabalho e obras das quais os filhos de Deus se ocupam nos seis dias da semana ou outra prática para auferir renda…em nada tendo relação com a passagem de estado de necessidade citada em (Mc 2;24-28),…. mas se você leu essa passagem também deve ter lido a outra na sequencia….

    Marcos 3 1 Noutra vez, entrou Ele na sinagoga e achava-se ali um homem que tinha a mão seca. 2.Ora, estavam-no observando se o curaria no dia de sábado, para o acusarem. 3.Ele diz ao homem da mão seca: “Vem para o meio.” 4.Então lhes pergunta: “É permitido fazer o bem ou o mal no sábado? Salvar uma vida ou matar?” Mas eles se calavam.

    Jesus não se considera um transgressor do Sábado. Muito pelo contrário: Ele coloca a guarda do Sábado em um nível superior ao dos judeus. Como na passagem similar à anterior :

    Mateus 12:10 a 12 – E eis que estava ali um homem que tinha uma das mãos atrofiadas; e eles, para poderem acusar a Jesus, o interrogaram, dizendo: É lícito curar nos sábados? E ele lhes disse: Qual dentre vós será o homem que, tendo uma só ovelha, se num sábado ela cair numa cova, não há de lançar mão dela, e tirá-la? Ora, quanto mais vale um homem do que uma ovelha! Portanto, é lícito fazer o bem nos sábados.

    E concluindo sobre a LABUTA no Sábado :

    Isaías 58:13 e 14 – Se desviares do sábado o teu pé, e deixares de prosseguir nas tuas empresas no meu santo dia; se ao sábado chamares deleitoso, ao santo dia do Senhor, digno de honra; se o honrares, não seguindo os teus caminhos, nem te ocupando nas tuas empresas, nem falando palavras vãs; então te deleitarás no Senhor, e eu te farei cavalgar sobre as alturas da terra, e te sustentarei com a herança de teu pai Jacó; porque a boca do Senhor o disse.

    FINALIZANDO
    Jesus disse : (Mateus 5 17). Não julgueis que vim abolir a lei ou os profetas. Não vim para os abolir, mas sim para LEVÁ-LOS À PERFEIÇÃO……

    Abs.

  7. Valdir Reginato disse:

    Não vamos continuar o “jogo de palavras”. Nos desviamos do tema. Continuo com o meu valor maior na palavra de Deus, Verdade que não se egana, e peço Fé para poder cumpri-la, ainda que sem compreendê-la, algumas vezes..

    Quanto ao sábado, ou domingo cristão, sou médico, profissional, e tenho trabalhado muitos destes dias, e sei que isto não está contra o que pede o Senhor. Será que deixaria para segunda a cirurgia de uma apendicite aguda, ou atender ao infartado só depois do Domingo?

    “Quem tem ouvidos para ouvir, que ouça!”

    Bom fim de semana.

    Valdir

  8. Luiz Coelho disse:

    Aí é te enganas, meu amigo, não saímos nunca do tema VALORES…… estás apenas a confundi-los ( valores morais, valores religiosos, valores pessoais, valores materiais, etc ).

    Assim como tantas profissões nobres, a medicina exige um juramento ( Hipócrates ), que descreve valores, uma visão de conduta e uma missão a ser seguida pelo médico…

    “Eu, solenemente, juro consagrar minha vida a serviço da Humanidade. Darei como reconhecimento a meus mestres, meu respeito e minha gratidão. Praticarei a minha profissão com consciência e dignidade. A saúde dos meus pacientes será a minha primeira preocupação. Respeitarei os segredos a mim confiados. Manterei, a todo custo, no máximo possível, a honra e a tradição da profissão médica. Meus colegas serão meus irmãos. Não permitirei que concepções religiosas, nacionais, raciais, partidárias ou sociais intervenham entre meu dever e meus pacientes. Manterei o mais alto respeito pela vida humana, desde sua concepção. Mesmo sob ameaça, não usarei meu conhecimento médico em princípios contrários às leis da natureza. « ( extraído do site wikipédia )

    Ninguém em sua sã consciência diria que é errado praticar a medicina nos dias dedicados ao Senhor…O juramento diz que ela ( medicina ) deve ser aplicada isenta de concepções ( valores ) religiosos …mas como deve o médico proceder se os valores religiosos conflitarem com os valores éticos da profissão, como os de não labutar no dia do Senhor ?

    A resposta o próprio Cristo nos deu….a pratica da Caridade !

    Caridade um sentimento ou uma ação altruísta de ajuda a alguém sem busca de qualquer recompensa. A prática da caridade é notável indicador de elevação moral e uma das práticas que mais caracterizam a essência boa do ser humano, sendo, em alguns casos, chamada de ajuda humanitária.

    Assim como tanto pregas o Amor ao próximo; a bondade; a benevolência; a indulgência; o perdão e a compaixão, terás cumprido seu dever e mantido ambos os valores ( médico e cristão ) se nestes dias nada tiveres buscado em benefício próprio, ou pecuniário….Será que assim o fizestes ?

    “Quem tem ouvidos para ouvir, que ouça!” e aprenda corretamente !!!

    Abs. E Bom final de semana

  9. Marco disse:

    Olá
    Nossa, quanta polêmica. Lendo os dois comentários entendo que ambos estão falando a mesma coisa.
    Em relação ao post. Coloco simplesmente o fato de “não faça algo que você não acredita por causa do trabalho. Maior que sua aspiração profissional estão seus valores pessoais.”. O Prof Freire deixa claro em sua msg final: “não existe pior conflito do aquele que acontece dentro de você”.
    Todo o resto, como vocês mesmos disseram, são discussão sobre valores individuais. E estes são pessoais e quase intrasferíveis !!

  10. Luiz Coelho disse:

    Só pra eu REALMENTE entender….Então “tudo bem” se eu estiver bem resolvido com minha convicção ( valores ) pessoal de que devo trabalhar normalmente, e receber por isso, ou até fazer com que as pessoas trabalhem em seus ofícios para me atender; mesmo sabendo que a Bíblia diz o contrário ? ( ou ela não diz isso ? )

    Como disse o Marco : “Maior que sua aspiração profissional estão seus valores pessoais.”…E quando os valores pessoas divergem de preceitos claramente e irrefutavelmente expressos na Bíblia ? Devemos continuar a priorizar os valores pessoais e “tudo bem” ?

    Então para que servem as “normas de contuda” e os relatos ditos por Deus e pelos profetas e expressos na Bíblia; se elas só se aplicam ou são lembradas quando se confundem com os meus valores pessoais ? Do contrário eu posso considerá-las como “não escritas” e “sem valor” para a minha vida, pois divergem dos meus “valores pessoais” ?

    Voltando ao início do tema…os valores são eternos ou divergem de pessoa para pessoa e de tema para tema ? Posso me considerar um cristão, por completo, mesmo que alguns poucos valores e condutas pessoais minhas se contrapõe as concepções que a Bíblia literalmente prega ? Ou dizemos que essas expressões bíblicas não estão dizendo o que dizem – “não é bem assim” – ( apenas para sentirmos que não estamos descumprindo a Bíblia )…e “tudo bem”?

    Abs.

  11. Marco disse:

    Luiz
    A coluna em que falamos as segundas, refere-se a ao tema “Familia & Trabalho”, ou seja, conversamos sobre uma melhor convivência entre estas 2 realidades em nossa vida. Não uso o espaço desta coluna para falar de dogmas e convicções da fé. Longe de mim ser responsável pela salvação de todos !! Minhas palavras não tem este peso.
    O contexto do texto (!?!) acima, é sim a mensagem de afirmar seus valores pessoais em detrimento dos corporativos. Nada além disso.
    Agora se os valores pessoais de um individuo se distoam dos valores religiosos, sociais, etc, sobre isso infelizmente não posso opinar. Se como você diz, a pessoa usa de termos para abrandar a fé, disso nada posso dizer. Posso dizer de mim, que faço de meus valores religiosos, também os meus pessoais.
    até

  12. Luiz Coelho disse:

    PERFEITO, PERFEITO !!….. ” Posso dizer de mim, que faço de meus valores religiosos, também os meus pessoais.”….Era exatamente isso que eu estava esperando ler !! Ser coerente SEMPRE !

    Para se considerar um verdadeiro, e completo, Cristão, devemos ou abrir mão de valores pessoais contrários aos ensinamentos……ou simplesmente fazermos os nossos valores os mesmos que estão expressos na Bíblia !!! Caso contrário seremos qualquer coisa, menos cristãos, ( hipócritas, talvez, como disse Jesus aos fariseus ), pois não estaremos abarcado e cumprindo os ensinamentos ( apenas aqueles que nos convém ) !!!

    É muito cômodo dizer que somos falhos, imperfeitos, etc, etc.. e conscientemente, por vaidade, orgulho, avareza, etc….agirmos, pensarmos e falarmos contrários, algumas vezes ou sempre, aos valores que pregamos e julgamos ser adeptos….

    Um homem não pode fazer o certo numa área da vida, enquanto está ocupado em fazer o errado em outra. A vida é um todo indivisível. Devemos ser coerentes com os nossos valores em TODOS os âmbitos de nossa vida, seja ela pessoal, corporativa, religiosa, etc ..Como podemos pregar a VERDADE, se nem com nós mesmos somos verdadeiros ?

    Abs.
    E obrigado pelo espaço de troca de ideias construtivas !!

  13. Marco disse:

    Oi Luiz

    A disposição.

    Interessante seu comentário final. Foi exatamente o que tratamos no post: Olhai as árvores pelos frutos vale uma nova visita.

    bom fim de semana !

  14. vreginato disse:

    Finalmente parece que chegamos a alguma conclusão!

    Valdir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s