O projeto de uma vida

Olá

Qual é o maior projeto da sua vida ?

Muitos podem exemplificar que foi ter retirado a empresa de uma situação financeira quase irreversível, colocando-a novamente no mercado.

Outros podem dizer da implantação de uma unidade fabril fora do país, enfrentando todos os problemas de cultura que um empreendimento destes possa acarretar.

Outros até podem citar a criação de um novo produto no mercado ou até a defesa de um inocente que foi para a cadeia.

Poderíamos também falar do objetivo de projeção de carreira: “pretendo ser um diretor executivo com 10 anos de carreira…”

Sem dúvida nenhuma estes seriam bons exemplos…

Porém, quanto tempo um projeto como estes podem levar ? 1, 3, 10 anos ??

E um projeto que dure 70, 80, 90 anos !!

Isso seria bem mais que a nossa “existência profissional” não ? Além de ser um desafio e tanto.

E é mesmo. O projeto de uma vida é o projeto para uma vida. É ser pai.

Ser pai requer dedicação tempo integral (mesmo enquanto trabalhamos, precisamos pensar em nossos filhos …) e seu resultado durará décadas …

Este projeto não permite delegações ou pedidos de cancelamento ou renúncia. “É para toda a vida”.

Mas também tem recompensas: os filhos serão sua continuidade, levarão seus valores à toda sua posterioridade (por isso não podem haver delegações…), vão arrancar sorrisos mesmo nos dias mais sombrios e lhe darão esperanças quando você precisar.

Digo isso hoje pois nesta semana fui brindado pelo mais novo grande projeto da minha vida. Meu filho Rafael, que nasceu há exatamente uma semana. Agora é mãos à obra !!!

Boa semana a todos

Anúncios

Sobre Marco

Marco é casado com Mariana e tem os pequenos Carol e Rafael. Ele é formado em Tecnologia da Informação, pós graduado em administração e trabalha há 14 anos no mercado corporativo de TI. Atua na Igreja Católica desde a adolescência, participando de grupo de jovens, ministérios de música e equipes de evangelização. Está na pastoral da familia da paróquia Nossa Senhora do Brasil desde 2007, atuando junto às familias e aos casais que buscam o matrimônio.
Esse post foi publicado em Familia&Trabalho. Bookmark o link permanente.

6 respostas para O projeto de uma vida

  1. Luiz Coelho disse:

    Primeiramente meus parabéns novamente ao belo e saudável Rafael, tudo de bom para ele e seus familiares !!

    Nos seus comentários, sempre há uma comparação entre o mundo corporativo e a família….Desta forma, achei o texto abaixo bem apropriado…

    Tente adotar outra terminologia…….ao invés da palavra projeto ( no seu texto )….troque-a por MISSÃO !….e acrescente ainda os termos VISÃO e complete, como você bem mencionou, com os VALORES………..A seguir troque as palavras corporativas ( empresa, presidente, cliente, empregados, equipe, negócios, etc ) por palavras sócio-afetivas, como (família, pai, filhos, familiares, amigos, caridade, etc…) e veja o que acontece :

    MISSÃO
    A missão deve responder o que a empresa se propõe a fazer, e para quem.
    O enunciado da missão é uma declaração concisa do propósito e das responsabilidades da sua empresa perante os seus clientes:

    – Por que a empresa existe?
    – O que a empresa faz?
    – Para quem?

    O propósito é algo com muito mais significado do que a simples descrição do que é feito internamente; a missão retrata a verdade de que o resultado da empresa é maior do que a soma das partes do que é feito.

    VISÃO
    O enunciado da visão é a descrição do futuro desejado para a empresa. Esse enunciado reflete o alvo a ser procurado:

    – pelos esforços individuais;
    – pelos esforços das equipes e
    – pela alocação dos recursos.

    O enunciado da visão deve conter tanto a aspiração, como a inspiração.
    A aspiração de tornar-se “algo”, e a inspiração porque esse “algo” deve merecer e valer a pena ser concretizado, deve-se sentir orgulho em participar da construção dessa visão. Ou seja, deve ter luz suficiente (inspiração) para apontar o caminho que leva à concretização da aspiração.

    A visão precisa ser prática, realista e visível (nós não alcançamos aquilo que nós não vemos), pois não passará de uma mera alucinação, se ela sugerir ou propuser resultados inatingíveis.

    Visão, também não tem nada a ver com projetos ou sistemas, que devem ou se sonha verem implantados, a visão não deve apontar quaisquer “comos”, ou declarações de intenções ou ainda de boa vontade.

    A visão deve ter o perfil que a empresa deve se tornar quando toda a boa vontade, intenções, esforços, recursos e projetos, que se tem na cabeça e no coração, passarem pelas mãos de todos os colaboradores para se tornarem realidade, por construção conjunta.

    O enunciado da visão, além dos aspectos de aspiração e inspiração, de ser prática, realista e visível, enfim deve facilitar a resposta às seguintes perguntas:

    – No que a empresa quer se tornar?
    – Qual a direção é apontada?
    – Onde nós estaremos?
    – O que a empresa será?
    – Em que direção eu devo apontar meus esforços?
    – Eu estou ajudando a construir o que?
    – Os recursos investidos estão levando a empresa para onde?

    VALORES
    Valores são princípios, ou crenças, que servem de guia, ou critério, para os comportamentos, atitudes e decisões de todas e quaisquer pessoas, que no exercício das suas responsabilidades, e na busca dos seus objetivos, estejam executando a Missão, na direção da Visão.

    Os valores também podem ser vistos como um conjunto de crenças, ou princípios, que:
    – definem e facilitam o desenvolvimento da Missão, Visão e dos próprios Valores;
    – definem e facilitam a articulação da Missão, Visão e Valores;
    – facilitam a colaboração entre os empregados;
    – facilitam o comprometimento dos empregados com o mercado, e
    – facilitam o comprometimento dos empregados com a comunidade e a sociedade.

    O enunciado de cada valor deve ser curto. Os valores são inegociáveis, e os mais perenes de uma empresa.

    O conjunto de valores define a regra do jogo, em termos de comportamentos e atitudes, devendo conter um subconjunto das respostas às perguntas abaixo:

    – Como os empregados devem se portar, individualmente?
    – Como os empregados se relacionam entre si?
    – Como os empregados se relacionam com os clientes?
    – Como a empresa trata seus clientes?
    – Como a empresa faz negócios?
    – Como se relaciona com a comunidade?
    – Que valores, crenças ou princípios são importantes para a empresa fazer o que faz, para quem faz, e para o que ela quer se tornar?

    Resumidamente, os valores:
    – Definem as regras básicas que norteiam os comportamentos e atitudes de todos empregados.
    – São as regras do jogo para que, executando a Missão, alcancemos a Visão.
    – São o suporte, o estofo moral e ético da empresa.

    E finalmente, mas não finalizando: a construção de um conjunto de Missão, Visão e Valores, só é útil se a prática do dia a dia, do presidente ao porteiro, mostra e demonstra ser esse o conjunto de regras que regem a conduta do pessoal da sua empresa. Caso contrário, é pura perda de tempo, pois se o que se diz e o que se prega, é diferente do que se faz; a Missão, a Visão e os Valores tornam-se somente um apanhado de letras, caindo no vazio da rotina.

    A Missão, Visão e Valores é a forma de se estar lá, presente em cada “Hora da Verdade” da sua empresa, até muitas vezes quando não puder estar lá fisicamente.

    Um grande abraço a todos os pais ( e mães ) que continuem firmes na missão, visão e nos valores cristãos de educar os seus filhos !

  2. Valdir Reginato disse:

    Marco

    Muito boa a comparação e uma boa reflexão “familiar-empresarial” do Luiz.

    Talvez possa dar uma pequena contribuição: “Esforçar-se a cada momento como se tudo dependesse somente de nós, mas consciente que nada, absolutamente nada, poderá ter verdadeiro sucesso se não contarmos com Ele”.

    Penso que esta é a Missão a ser vivida por um pai, para que dê ao filho a verdadeira visão da vida, que só pode ser alcançada em plenitude quando os valores estão alicerçados na palavra da Verdade.

    Abraços

    Valdir

  3. Lutfe Mohamed Yunes disse:

    Marco, gostei muito do texto. Parabéns, e Deus estava contigo nas suas palavras.
    Abraços,

  4. Igor Montes disse:

    Marco, não havia tido a oportunidade de parabenizá-lo até este momento pelo lindo presente de Deus que receberam.

    Ficamos muito feliz com a chegada de mais um integrante para esta linda família, que sem dúvida será muito abençoado.

    Sem dúvida, as palavras do Dr. Valdir e do Lutfe são verdadeiras, pois é notória a vocação divina que você tem com as palavras, permitindo-nos sentir bem fundo todo o significado da sua mensagem.

    Parabéns novamente.

    Um gde abraço.

  5. Luiz Coelho disse:

    Ontem conversando com um grupo de amigos….o assunto filhos surgiu….e foi lembrada por uma mãe uma história, que muitos devem conhecer, mas que resume bem a idéia deste post ( só que na visão materna )…um exemplos aos “projetos” do Marco !

    “Certo dia, uma mulher chamada Anne foi renovar a sua carteira de motorista.

    Quando lhe perguntaram qual era a sua profissão, ela hesitou. Não sabia bem como se classificar. O funcionário insistiu: “o que eu pergunto é se tem um trabalho.” “Claro que tenho um trabalho”, exclamou Anne. “Sou mãe.” “Nós não consideramos isso um trabalho. Vou colocar dona de casa”, disse o funcionário friamente.

    Uma amiga sua, chamada Marta soube do ocorrido e ficou pensando a respeito por algum tempo. Num determinado dia, ela se encontrou numa situação idêntica. A pessoa que a atendeu era uma funcionária de carreira, segura, eficiente. O formulário parecia enorme, interminável. A primeira pergunta foi: “qual é a sua ocupação?” Marta pensou um pouco e sem saber bem como, respondeu:

    “Sou doutora em desenvolvimento infantil e em relações humanas.” A funcionária fez uma pausa e Marta precisou repetir pausadamente, enfatizando as palavras mais significativas. Depois de ter anotado tudo, a jovem ousou indagar; “Posso perguntar, o que é que a senhora faz exatamente?”

    Sem qualquer traço de agitação na voz, com muita calma, Marta explicou: “Desenvolvo um programa a longo prazo, dentro e fora de casa.”

    Pensando na sua família, ela continuou: “sou responsável por uma equipe e já recebi quatro projetos. Trabalho em regime de dedicação exclusiva. O grau de exigência é de 14 horas por dia, às vezes até 24 horas.”

    À medida que ia descrevendo suas responsabilidades, Marta notou o crescente tom de respeito na voz da funcionária, que preencheu todo o formulário com os dados fornecidos.

    Quando voltou para casa, Marta foi recebida por sua equipe: uma menina com 13 anos, outra com 7 e outra com 3.

    “Mãe, onde está meu sapato? Mãe, me ajuda a fazer a lição? Mãe, o bebê não pára de chorar. Mãe, você vai buscar-me na escola? Mãe, você vai assistir á minha dança? Mãe, você compra? Mãe…”

    Subindo ao andar de cima da casa, ela pôde ouvir o seu mais novo projeto, um bebê de seis meses, testando uma nova tonalidade de voz.

    Feliz, Marta tomou o bebê nos braços e pensou na glória da maternidade, com suas multiplicadas responsabilidades. E horas intermináveis de dedicação…

    Sentada na cama, Marta pensou: “se ela era doutora em desenvolvimento infantil e em relações humanas, o que seriam as avós?”

    E logo descobriu um título para elas: doutoras-sênior em desenvolvimento infantil e em relações humanas. As bisavós, doutoras executivas sênior. As tias, doutoras-assistentes. E todas as mulheres, mães, esposas, amigas e companheiras: doutoras na arte de fazer a vida melhor. ”

    – É uma situação engraçada…um mundo em que se dá tanta importância aos títulos, em que se exige sempre maior especialização, na área profissional; esquecemos ou damos pouca ou nenhuma importância ao nosso maior potencial e especialidade : a arte de amar!

    • Marco disse:

      ha ha ha

      Boa Luiz

      Recebi agora pouco este email. Peguei o texto para postar aqui nos comentários e olhe a coincidência, vc acaba de fazê-lo… nossa essa foi “na mosca”.

      A proposta é essa mesmo. Bom seu comentário sobre a missão. Minha idéia falando de projetos é realmente levar as pessoas a refletir que um projeto de 3 anos em uma empresa não é nada perto do projeto de criar uma vida, que durará por décadas. Porém mtos dão o sangue para pequenos projetos como aquele e nenhum para este.

      até mais !!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s