Fraternidade e vida no planeta

Iniciamos ontem com a Quarta-Feira de Cinzas o período litúrgico da Quaresma de 2011. Neste ano, a CNBB propôs o tema “Fraternidade e vida no planeta” para a Campanha da Fraternidade, que sempre é lançada no Brasil no início deste período litúrgico, de modo a suscitar nos fiéis reflexões que os levem à conversão na área de proposição do respectivo tema. O Papa Bento XVI enviou uma mensagem à Igreja no Brasil, ressaltando a importância do tema e pedindo-nos mudança de mentalidade e atitudes para a salvaguarda da criação. Eis alguns trechos da referida mensagem:

 

“O primeiro passo para uma reta relação com o mundo que nos circunda é justamente o reconhecimento, da parte do homem, da sua condição de criatura: o homem não é Deus, mas a Sua imagem; por isso, ele deve procurar tornar-se mais sensível à presença de Deus naquilo que está ao seu redor: em todas as criaturas e, especialmente, na pessoa humana há uma certa epifania de Deus. …

O homem só será capaz de respeitar as criaturas na medida em que tiver no seu espírito um sentido pleno da vida; caso contrário, será levado a desprezar-se a si mesmo e àquilo que o circunda, a não ter respeito pelo ambiente em que vive, pela criação. …

Ou seja, sem uma clara defesa da vida humana, desde sua concepção até a morte natural; sem uma defesa da família baseada no matrimônio entre um homem e uma mulher; sem uma verdadeira defesa daqueles que são excluídos e marginalizados pela sociedade, sem esquecer, neste contexto, daqueles que perderam tudo, vítimas de desastres naturais, nunca se poderá falar de uma autêntica defesa do meio-ambiente.”

 

Esta mensagem do Papa vem confirmar a necessidade de toda ação evangelizadora de centrar-se no coração do homem, e neste particular caso, na sua capacidade de valorização da vida e das criaturas, vendo nelas a presença de Deus. Se o homem não for educado para sentido pleno da vida, não conseguirá respeitar as criaturas ao seu redor e o que é pior, nem a si mesmo.

Vemos hoje em nossa sociedade cenas de uma juventude cada vez mais rebelde a tudo o que contenha uma escala de valores a obedecer. Os jovens parecem avessos a tudo aquilo que seja moralmente correto de ser seguido e enfrentamos verdadeiras crises para conseguir educar em nossas escolas e universidades. Entre eles, tem-se a impressão de que o bonito e o correto é ser do contra, é fazer o errado, é valorizar o imoral, é desperdiçar, é estragar e assim por diante.

Nós pais temos a sublime missão de zelar pelos que nos foram confiados, insistindo sempre em educá-los da melhor maneira possível. Pequenos detalhes podem fazer muito para um mundo melhor, tais como as normas do cotidiano para economia de luz e água no lar, para as práticas de reciclagem de lixo, entre outras. Acima de tudo, devemos nos empenhar para que se sintam amados, valorizados da maneira que são, de forma que nunca caiam na tentação de chegar a ter desprezo por si mesmos.

Que Deus nos dê sua graça e sua bênção, cumulando-nos de sabedoria nessa missão.

 

Abraços e até a próxima semana.

 

Heraldo

 

 

Anúncios
Esse post foi publicado em Pais+Filhos. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Fraternidade e vida no planeta

  1. valdir reginato disse:

    Heraldo

    Bem lembrado que a preservação do planeta inicia-se pelo pouco que se faz em cada lar. Que a campanha da fraternidade possa ecoar em todo o Brasil esta lembrança.

    Valdir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s