Quem ama corrige

A preocupação dos pais em zelar pelo bem de seus filhos não pode nunca ser confundida com ausência dos momentos de correção. Quem ama verdadeiramente seu filho, corrige-o quando necessário, visando sempre seu próprio bem. É comum presenciarmos cenas de pais bajulando ou protegendo seus filhos diante de atitudes incorretas ou de mal comportamento. Às vezes, até corrigem, mas sem a firmeza e autoridade que lhe são próprias e devidas. Não se defende aqui a prática de atitudes de autoritarismo por parte dos pais, mas sim a correta intervenção no momento oportuno.

“Aquele que ama seu filho, corrige-o com freqüência, para que se alegre com isso mais tarde …” (Eclo 30,1). A Palavra de Deus é clara ao nos orientar sobre o assunto. É necessário corrigir com freqüência, ou seja, sempre que necessário, não desanimando de fazê-lo, mesmo que isto implique em momentos de chateação e tristeza para o filho. Bem sabemos que toda correção, por mais devida que seja, na hora de sua aplicação, traz chateação. Porém, o trecho do livro do Eclesiástico é claro: “… para que se alegre com isso mais tarde …”, ou seja, posteriormente colherá os frutos provenientes daquela correção.

As atitudes de firmeza dos pais ajudam na boa formação da personalidade dos filhos. É preciso imputar-lhes as responsabilidades que lhes sejam devidas, quaisquer que sejam as situações, chegando até a aplicar-lhes algum tipo de  punição ou privação em função da gravidade do ocorrido. Precisamos nos empenhar por formar pessoas para um mundo melhor.

Que Deus nos dê sabedoria para agirmos corretamente na educação dos filhos que por Ele nos foram confiados.

Abraços e até a próxima semana.

Heraldo

Anúncios
Esse post foi publicado em Pais+Filhos. Bookmark o link permanente.

4 respostas para Quem ama corrige

  1. vreginato disse:

    Caro Heraldo

    Gostaria, se me permite, acrescentar uma frase que aprendi de um orientador familiar: “Elogios em público e correções individualmente.” Penso que é um bom critério para que os pais não deixem seus filhos em situações constrangedoras, ao mesmo tempo que favorexce uma maior intimidade para que o filho possa falar, sem que isto desperte a atenção dos demais.

    Valdir

  2. Lutfe Mohamed Yunes disse:

    Heraldo e Valdir, muito obrigado pelos ensinamentos matutinos, espero que estas lições fiquem incorporadas na alma. Abraços, Lutfe

  3. Alessandra de Angelis disse:

    Heraldo,

    Parabéns pelo texto elucidativo!

    Valdir,

    Nunca mais vou esquecer a frase que vc. citou acima, muito pelo contrário, sempre que possível, passarei adiante. Só gostaria de acrescentar que também acho válido para marido e mulher. Em uma situação de discórdia, nunca grite ou repreenda seu companheiro (a) na frente dos outros, mas quando for para elogiar, faça-o sem pestanejar, em público, é claro!

    Alessandra de Angelis

  4. Cristiane disse:

    O que me chamou a atenção hoje foi o fato de termos que corrigir com frequência… sem desanimar. De fato, leva tempo para que uma criança “aprenda”, e às vezes fico desanimada… Mas agora terei em mente as palavras do Heraldo, do Valdir e do Eclesiástico para me ajudarem.
    abraços,
    Cristiane

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s