O APÓSTOLO E A CIDADE

Caros leitores

Certamente não poderíamos deixar de dedicar a coluna de hoje a esta “coluna” da Igreja que é o Apóstolo São Paulo, quem deu o nome a esta enorme cidade, que coincidentemente tem as caracterísitcas de seu santo patrono.

Uma cidade que nasceu de uma pequena vila pacata, e que nos meados do século passado rompeu num crescimento vertiginoso, acolhendo ao mundo todo. Como o Apóstolo, a cidade rompe as fronteiras e deixa que aqui o mundo inteiro tenha seu espaço. São Paulo que foi aos gentios nos primeiros séculos do cristianismo, torna esta terra um encontro de todos os “gentios”, procedentes das mais diferentes partes do mundo. Aqui parece que todos tem um conhecido!

Forte como o Apóstolo, a cidade não experimentou limites que não fossem ultrapassados no seu comportamento de vencer desafios. Evidentemente, assim como o Apóstolo, que naufragou e foi açoitado diversas vezes, esta cidade também experimentou e vivencia até os dias presentes, as consequências de seu gigantismo arrebatador.

Se do Apóstolo recolhemos a maior parte das cartas do Novo Testamento, onde firma-se a doutrina cristã, é de São Paulo que procedem as diretrizes que têm norteado o crescimento do Brasil, e porque não dizer, com influencia internacional atualmente.

Difícil de imaginar que Anchieta pudesse fazer este paralelismo históricio-apostólico de uma vila e o grande Santo. Mas desta vez, a denominação de uma cidade pela data do santo do dia, forjou uma semelhança poucas vezes encontrada neste critério tão comum no Brasil Colônia.

Há de se buscar no temperamento violento de São Paulo, que chega a fazer advertência a Pedro diante dos judeus, pelo seu comportamento de discriminação, a sua humildade em não se merecer ser chamado de Apóstolo, pois veio só depois da sua perseguição ao Mestre. Refletir  na valentia em cruzar mares e estradas perigosos, confiante nAquele que tudo pode, e crescer com sua esperança em receber a coroa reservada aos justos por ter combatido o bom combate.

Figura impar na história do Cristianismo, alguns chegam a promovê-lo a fundador da Igreja, que de modo enfático nega a estes, dizendo que não fora ele que morrera na cruz para ressuscitar para a salvação dos pecadores.

Que hoje nos ocupemos, ao menos por alguns minutos, na reflexão e oração deste Apóstolo. Muito nos ajudará a poder conviver no mundo de hoje, que cada vez mais na sua globalidade, se aproxima das características desta Metrópole que faz 457 anos.

FELIZ ANIVERSÁRIO, SÃO PAULO.

Valdir

Anúncios

Sobre vreginato

Casado e tem três filhos. Médico e Terapêuta de Família. Professor de Bioética, Históra da Medicina e Espiritualidade e Mediicna na Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), membro do Centro de História e Filosofia das Ciências da Saúde da Unifesp, Coordenador da Pastoral da Família da Paróquia Nossa Senhora do Brasil
Esse post foi publicado em Palavra da Igreja. Bookmark o link permanente.

3 respostas para O APÓSTOLO E A CIDADE

  1. Lutfe Mohamed Yunes disse:

    Valdir, excelente artigo… Refletir sobre São Paulo é sempre um ótimo exercício para entendermos o quanto podemos melhorar. Abraços, Lutfe

  2. Alessandra de Angelis disse:

    Valdir,

    Excelente reflexão! Pensamento positivo sempre e esperança no coração dos paulistanos.

    Abraços,
    Alessandra de Angelis

  3. Cristiane disse:

    Parabéns pelo texto! É quase uma poesia. Bonito mesmo!
    Cristiane

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s