Acima de todas as coisas

Olá

  Me lembro de uma frase, que aprendi em um encontro na comunidade Canção Nova – Cachoeira Paulista, que diz o seguinte: “Existem 3 tipos de obediência: obediência por medo, necessidade ou amor

 Por medo: Uma pessoa obedece a outra por medo – por exemplo –  de uma coação fisíca, perigo de morte, ou perigo entre entes queridos; onde este não vê outra saída a não ser obedecer.

 A necessidade nos faz obedecer pelo instinto de sobrevivência. Você obedece seu chefe para que ele não lhe demite e você fique sem seu salário para sustentar sua família. Por este motivo você obedece.

  Obedecer por amor (mtos também podem dizer “por respeito”), é quando obedecemos porque acreditamos. É uma obediencia que não é pedida ou imposta. Não necessariamente gera uma recompensa e nem por isso deixamos de fazê-la. Fazemos por amor, porque queremos. 

 Seria muito bom se todos pudesse-mos obedecer somente por amor. Porém não é assim. Mas o que tenho notado é que a obediência por amor tem dado lugar a obediência por necessidade (ou até podemos dizer “por recompensa”)

Temos gradualmente “vendido” nossa obediência com recompensas. Isso tem nos cegado e anestesiado nossa capacidade de amar e fazer algo por alguém sem pedir nada em troca.

 Que neste dia de Todos os Santos possamos, possamos pedir a intercessão destes que por amor a Deus e sem pedir nada em troca, conquistaram a mais alta recompensa. o Céu.

Bom feriado !

Anúncios

Sobre Marco

Marco é casado com Mariana e tem os pequenos Carol e Rafael. Ele é formado em Tecnologia da Informação, pós graduado em administração e trabalha há 14 anos no mercado corporativo de TI. Atua na Igreja Católica desde a adolescência, participando de grupo de jovens, ministérios de música e equipes de evangelização. Está na pastoral da familia da paróquia Nossa Senhora do Brasil desde 2007, atuando junto às familias e aos casais que buscam o matrimônio.
Esse post foi publicado em Familia&Trabalho. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Acima de todas as coisas

  1. vreginato disse:

    Marco

    Mesmo na união matrimonial tem gente que está neste esquema.
    Casa por medo de ficar sozinha, ou por necessidade de sair da casa dos pais, ou ter alguém que a compreenda. Esquecem que para a união matrimonial só conta a última: obediência ao casamento por amor.

    Valdir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s