Conquistando amigos

  No processo de crescimento de nossos filhos, podemos notar que uns são mais extrovertidos e outros introvertidos. Todos, entretanto, necessitam de amigos nas várias etapas de sua vida. E o processo de conquista desses amigos é muitas vezes conturbado para uma ou outra criança, adolescente ou jovem. É muito comum a tendência de quererem conquistar seus amigos, imitando o comportamento deles para se sentirem um com eles, mesmo sabendo que, com este comportamento, estejam negligenciando valores que desde a mais tenra infância receberam de seus pais. Estejamos, pois, atentos às atitudes de nossos filhos para podermos ajudá-los no momento oportuno. Precisam muito de nosso amor e atenção em cada faixa etária, muito diálogo, de modo a aprenderem que precisam ser o que são em todos os ambientes de vida. É necessário que recebam dos pais os valores do bem, da verdade, da moral e que sejam, desde pequenos, luzes para os que convivem ao seu lado, e não ao contrário, envoltos nas trevas dos que não recebem tais valores e os querem arrastar consigo para comportamentos desregrados, sejam nas escolas, sejam nos ambientes onde moram. Não defendemos aqui a idéia de que o filho seja colocado numa redoma de vidro e assim não tenha contato com nada que o possa “estragar” na sociedade. Deus, que é nosso Pai, nos criou para vivermos em liberdade, e nos permite agirmos nela o quanto desejarmos. Entretanto, nos exorta de muitas maneiras para que saibamos usufruir da liberdade, com base nos valores da verdade. Da mesma forma precisamos agir com nossos filhos, ou seja, respeitando sua liberdade, mas possibilitando-lhes o conhecimento da verdade. Em sua oração sacerdotal, pouco antes de passar pela paixão e morte de cruz, Jesus orou ao Pai pedindo que não nos tirasse do mundo, mas que nos preservasse do mal, guardando-nos na verdade. A Palavra de Deus é a verdade (Jo 17, 15-17).

  Que Deus nos dê sabedoria para bem formarmos nossos filhos e que assim possam se constituir em novos cristãos para os tempos vindouros. Que suas amizades não os levem a negar sua fé, recebida como dom desde seu batismo, mas que ao contrário, possam ser capazes de, mesmo nos laços de amizade, se constituírem em evangelizadores para os que com eles convivem.

  Abraços e até a semana que vem

Heraldo

Anúncios
Esse post foi publicado em Pais+Filhos. Bookmark o link permanente.

4 respostas para Conquistando amigos

  1. Luiz Coelho disse:

    Bom dia…

    Li recentemente um livro, aonde o autor dizia que antes de pensar em ter um filho, devería-se pensar muito; do mesmo modo que se pensaria em fazer uma grande tatuagem no rosto; pois é algo que se terá para a vida toda !!

    A facilidade com que as pessoas hoje tem um filho, como se tivesse trocando de roupa é algo que me assusta. Tanta forma de orientação sexual em qualquer lugar….tanta forma de controle familiar….e algumas familias até parecem ser meus parentes ( Coelhos ) de tão grande que é a prole, inversamente proporcinal aos cuidados que se tem em educá-los.

    Não é apenas pelo aumento populacional….aonde o planeta já dá sinais de que estamos com o maior número de habitantes que o planeta já teve. Não critico ninguém em querer ter um filho biológico seu…..mas um segundo, terceiro, etc. me pergunto aonde estará a caridade e a conduta critã em adotar uma criança ? e Ajudar um ser já nascido, que nada fez de errado e só deseja ser amado ?

    Gasta-se fortunas com “Drs. Rogers” em clínicas de fertilidade, ou se colocam na postura “ariana” de ter descentes com o mesmo DNA; esquecendo-se das leis cristãs e de que temos este corpo apenas temporariamente e são tão preconceitoosos que acreditam que os filhos que vieram da maternidade e não do forum; jamais serão com uma Suzane Von Richthofen, será mesmo ?

    Vejo famílias que trabalham tanto para poderem suprir os diversos filhos que tiveram….que mal conseguem vivenciar seu crescimento ou ajudar na educação. Outras preferem a quantidade para se beneficiarem de programas sociais, se importando apenas em fazê-los e pensam que o Estado se encarregará de educá-los.

    Devemos deixar não um planeta melhor para nossos filhos; mas criar pessoas melhores para este planeta. Todo o cuidado moral, religioso, bom senso e principalmente multi-cultural; aonde eles saberão respeitar pessoas, lugares, costumes…. é como li nas em uma excursão : “Não tire nada além de fotos; não deixe nada além de pegadas; pois outros vieram e não danificaram nada para que você pudesse apreciar toda essa maravilha que Deus criou”.

    Abraço.

  2. Valdir disse:

    Caro Heraldo

    Mai um artigo digno de reflexão, como sempre. Zelar pela liberdade dos filhos na ecolha de seus amigos. É um tema dos mais importantes na educação.

    Eu, que sou o quinto de oito irmãos, percebo o quanto vamos aprendendo isto já no ambiente de família. Nas famílias numerosas isto se verifica num aprendizado constante, onde é menos frequente, embora exista, a introspecção. A própria convivência com irmãos já facilita o relacionamento na escola e no lazer. Não é raro que em certa etapa o mais novo imite o mais velho, e os pais devem estar atentos a estas comparações. Desenvolver a personalidade própria é fundamental.

    Atualmente, com as famílias apresentando um ou dois filhos (três, já é considerado numerosa!!), eles tendem a ir buscar precocemente as amizades fora de casa, e evidentemente encontram hábitos diferentes, de acordo com a cultura de cada família. Como você bem disse, não devemos colocá-los em redoma de vidro. Contudo, é natural que os pais estejam mais atentos a esses diferentes ambientes, onde nem sempre se é possível acompanhar os valores cultivados naquelas famílias. Isto de modo particular quando o critério de discernimento na infância ainda está se formando.

    De qualquer forma, favorecer a convivência para que possam crescer na virtude da amizade é sempre um ótimo objetivo para os pais que educam seus filhos.

    Abraço

    Valdir

  3. Lutfe disse:

    Heraldo, muito legal o texto. Parabéns e obrigado pelas palavras. Lutfe

  4. Luiz Coelho disse:

    Mais do que amigos………irmãos !……Eu sempre que posso comento o assunto da adoção. É engraçado como a grande maioria dos cristãos pregam valores platônicos ou temporários…..aonde podem ajudar ou deixar de ajudar alguém a qualquer momento, mas pegar para si uma responsabilidade definitiva é outra coisa.

    Sinto muita tristeza quando vejo ótimas idéias que ficam apenas na teoria. Sinto uma restrição e um preconceito que me incomoda muito como cristão.

    A melhor forma de fazer um amigo com os mesmos valores que os nossos, é trazê-lo para dentro do nosso convívio….e melhor ainda se esse convívio for permanente em todos os sentidos !

    Jesus diz claramente que seremos julgados por aquilo que fizermos de fato e não por aquilo que aparentamos fazer, ou por aquilo que dissermos que fizemos.”Quando fizerdes a um destes pequeninos, a mim fizerdes”. Isso, pra mim, é sinômino de amizade verdadeira!

    Abraço e bom final de semana.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s