A copa e o tráfico de seres humanos

Enquanto assistimos, com tristeza, a eliminação do Brasil da Copa do Mundo, a Igreja nos alerta para outros fatos, (muito mais tristes),  que estão acontecendo, concomitantemente,  no evento futebolístico. É impressionante que pessoas possam aproveitar situações desta natureza esportiva para lucrar com serviços do “tráfico de seres humanos”, explorados no campo sexual e do trabalho escravo.

Este é um dos exemplos das cortinas de fumaça que uma sociedade hedonista e consumista cria, para enquanto o povo se “diverte” no mundo dos prazeres, outros seres humanos são tratados na escravidão. É evidente que a copa de futebol é um grande acontecimento que nos alegra, mas não pode ser usado para proporcionar esta tristeza a humanidade. Vejamos o texto do  Pe. John Flynn, L. C. publicado em ZENIT.

ROMA, domingo, 4 de junho de 2010 (ZENIT.org) – Milhões de fãs por todo mundo, colados às telas da televisão, enquanto seguem o Mundial, talvez não percebam uma grande preocupação: o fato de que a Copa do Mundo pode favorecer um aumento no tráfico de seres humanos. 

O cardeal Wilfrid Fox Napier, arcebispo de Durban, África do Sul, mencionou isto a ZENIT em uma enrtevista publicada a 5 de maio. Dizia que havia sinais de que as máfias do crime organizado estavam fazendo que pessoas entrassem ilegalmente no país para proporcionar serviçose sexuais durante o Mundial.

Em coincidência com isto, pouco depois do começo do Mundial de Futebol, o Departamento de Estado norte-americano publicou sua Pesquisa sobre Tráfico de Pessoas 2010. É o décimo ano destas pesquisas, que seguem os fatos ligados ao comércio de seres humanos. Uma declaração que acompanha a pesquisa admite que a luta contra o tráfico humano está em suas primeiras etapas. Muitos países ainda estão aprendendo e explorando as formas de enfrentá-lo com eficácia, observa.

Ainda que a maior parte da atenção dos meios de comunicação se centre no tráfico para fins sexuais, o Departamento de Estado aponta que são traficadas pessoas com maior frequência para trabalho forçado do que para comércio sexual. Ainda assim, os traficantes utilizam a violência sexual como forma de obrigar as mulheres a trabalhar no campo ou nas fábricas.

É preciso parar, pensar e rezar. Até a próxima semana.

Valdir

Anúncios

Sobre vreginato

Casado e tem três filhos. Médico e Terapêuta de Família. Professor de Bioética, Históra da Medicina e Espiritualidade e Mediicna na Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), membro do Centro de História e Filosofia das Ciências da Saúde da Unifesp, Coordenador da Pastoral da Família da Paróquia Nossa Senhora do Brasil
Esse post foi publicado em Palavra da Igreja. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para A copa e o tráfico de seres humanos

  1. Lutfe disse:

    Valdir, excelente e muito esclarecedor o texto!

    Infelizmente ontem não consegui ir ao recolhimento (espero que tenha sido legal) e minha internet não estava funcionando ontem e não consegui publicar o artigo (fiquei um pouco chateado por isto, mas tudo bem estas coisas acontecem e semana que vem está logo aí). Orarei bastante por nós!!! Um grande abraço, do amigo Lutfe

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s