As damas de branco: mães aflitas que lutam por seus filhos

Pessoas de diversos países portando bandeiras de suas nacionalidades, como na foto a do Brasil e dos Estados Unidos, acompanhavam e prestavam solidariedade às insígnias cubanas presentes na manifestação

Gloria Estefan levanta um lírio branco em homenagem às “Damas de Branco”

Uma multidão se vestiu de branco e protestou em Miami

Cubanos Desterrados: uma das valentes organizações que pede a liberdade religiosa para a Ilha Prisão

O que você faria, caro amigo, se o seu filho tivesse de viver em um sistema prisional ostensivo e aterrador?

A regra da natureza para os animais é clara, quando um bicho feroz ataca um grupo de outra espécie as mães não saem de perto de seus filhotes até que o perigo se afaste de vez, ainda que aquilo imponha uma agressão ou perigo à sua própria vida.

Esse instinto que é claro no mundo irracional é muito mais latente na alma humana e uma mãe é sempre capaz dos mais nobres perigos quando se trata de defender seu filho, ainda que este tenha já ultrapassado a idade madura.

A maior prova dessa regra é o que se passa na Cuba Comunista onde, não terá passado despercebido ao atento leitor deste blog, a vigilância da ditadura política impõe regras duras de silêncio e proíbe manifestações, ainda que “apenas” religiosas, contrárias ao governo.

O mundialmente famoso grupo de “madres de Blanco” que ousa sair às ruas da velha e surrada Havana é um exemplo para qualquer mãe pelo mundo. A tal ponto que cubanos e latinos e defensores da liberdade pelo mundo inteiro se reúnem de tempos em tempos para manifestar seu apoio a tal movimento.

Em Miami, a cidade no planeta onde provavelmente mais vivem cubanos, o apoio é maciço e constante a ponto de existirem marchas pela famosa “Calle Ocho” onde milhares e milhares de pessoas pedem, em união com as “madres de Blanco” a libertação dos presos políticos da ilha Prisão e também a autorização para que aquele povo possa exercer os mais simples dos direitos como por exemplo a liberdade religiosa.

Na sequência algumas fotos do movimento que reuniu no mês passado quase 200 mil pessoas na mais importante cidade da Flórida. Artistas internacionais importantes como Gloria Estefan, políticos interessados no voto popular como o prefeito de Miami e vários de seus auxiliares, bispos, padres e muitas outras personalidades estiveram presentes no meio da multidão de pessoas de diversas nacionalidades nesse dia de protesto em solidariedade àquelas mães que esperam um dia ver seus filhos livres.

A forte religiosidade do povo cubano pode ser percebida pelas fotos. A “Virgen de la Caridad del Cobre”, padroeira de Cuba era constantemente invocada.

Veja as fotos, elas falam por si mesmas: Viva Cuba Livre!

Anúncios

Sobre Miguel

Empresário, estudou letras em Paris e cursa Direito na Faculdade de Direito Mackenzie. Atua desde muito jovem em diversas associações católicas e movimentos em defesa da vida e pela família.
Esse post foi publicado em Geral e marcado . Guardar link permanente.

2 respostas para As damas de branco: mães aflitas que lutam por seus filhos

  1. Cristina disse:

    Abaixo o comunismo em Cuba ou em qualquer lugar do mundo!

  2. Lutfe disse:

    Que texto legal, fazia tempo que não parava para pensar em outros países e de problemas globais que afetam a nossa humanidade. A liberdade é um bem de Deus e deve ser respeitada sempre, principalmente quando é para Louva-Lo ou Amá-lo. Abraços, Lutfe

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s