REZAR PELOS SACERDOTES

Estamos nos aproximando da Semana Santa. Este período é dedicado a oração, jejum e penitência. Nas últimas semanas vários colaboradores da casadefamília têm procurado contribuir com sua palavra para que os leitores pudessem se aprofundar no sentido da Quaresma .

Hoje, particularmente , gostaria de trazer um tema que tem sido doloroso a Igreja, de modo particular ao Santo Padre, e que aproveitando o Evangelho de Domingo passado,  falou sobre a questão de “amar o pecador e detestar o pecado”.

A nossa Mãe Igreja, instituída por Nosso Senhor Jesus Cristo, permanece viva  ao longo da história pelo Povo do Reino de Deus, de modo particular orientada pelos seus pastores mediante as atribuições do sacramento da Ordem.

Felizmente, com a proteção do Espírito Santo, estes homens, que livremente optam por seguir o chamado de Cristo, seguem na sua imensa maioria em fidelidade vocacional, num desempenho de caridade ao próximo e de anunciar a Verdade do Evangelho a todos os povos. Assim tem sido ao longo de mais de dois mil anos, crescendo o número daqueles que se aproximam de Cristo.

No entanto, o noticiário nos últimos tempos tem se ocupado de manchar esta marca de fidelidade dos seus pastores, mediante a multiplicação de fatos decorrentes da queda  pela fraqueza humana de alguns poucos que, infelizmente, se desviaram de sua vocação e princípios. O noticiário faz por intermédio do poder da mídia fazer acreditar aos que estão mais afastados, que a Igreja hoje passa por um terremoto de credibilidade onde tudo está desmoronando. Isto, certamente está muito longe da verdade, quando constatamos, como dito acima, a fidelidade da imensa maioria dos sacerdotes e o enorme bem que têm feito as suas comunidades.

Que nesta semana cada um encontre um tempo de oração para que a santidade do povo de Deus seja preservada, e fortalecida, principalmente naqueles que seguem responsáveis como pastores do rebanho. Conforme nos ensinou Jesus devemos dizer: “ Mulher, ninguém te condenou? …. Eu também não te condeno, vá em paz e não peques mais.”  É o desejo que devemos fazer a todos aqueles que, como pode acontecer a qualquer  um de nós, deixam se vencer e caem, mas se levantam com o perdão e a força do Espírito Santo.

Anúncios

Sobre vreginato

Casado e tem três filhos. Médico e Terapêuta de Família. Professor de Bioética, Históra da Medicina e Espiritualidade e Mediicna na Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), membro do Centro de História e Filosofia das Ciências da Saúde da Unifesp, Coordenador da Pastoral da Família da Paróquia Nossa Senhora do Brasil
Esse post foi publicado em Palavra da Igreja. Bookmark o link permanente.

3 respostas para REZAR PELOS SACERDOTES

  1. Cristiane disse:

    É muito mais fácil condenar, jogar pedras, do que perdoar… Ainda mais se se trata da Igreja Católica! Como ela é atacada pela mídia. Como os escândalos logo se espalham.
    Nenhum jornal fala dos padres fiéis, daqueles que livremente escolheram e mantiveram seu celibato por amor à Igreja e a Jesus Cristo. Aliás, é muito difícil nos dias de hoje que as pessoas entendam uma opção como esta. “Onde já se viu não se casar?” é o que dizem em cada esquina. E ninguém se questiona que existe uma vocação, um chamado de Deus, muito particular para este estado de vida.
    Concordo com o Valdir que é preciso rezarmos para que os padres fiéis assim o permaneçam e para que aqueles que caíram tenham a ajuda necessária e a graça de voltarem e não pecarem mais.

  2. Marco disse:

    Ola Valdir

    Parabens pelo seu texto feito com coragem e clareza sobre um assunto que sempre ataca a Igreja, como se ela, somente ela, enfrentasse este problema. E para ressaltar a inspiração que você teve do Espírito Santo, outros sites catolicos também veicularam esta noticia no dia de hoje. O Espírito Santo sopra e nós obedecemos…

  3. Luiz Coelho disse:

    A instituição religiosa, assim como qualquer outra instituição ( polícia, governo, etc ), é formada por pessoas; pessoas essas falhas, com virtudes, mas também com defeitos.

    O problema está, como em qualquer situação, em tentar encobrir um fato, dizer que nada aconteceu, quando aconteceu; passar uma “certeza” de que tudo está na mais perfeita normalidade, quando de fato a normalidade é distorcida ou adequada dependendo do agente ou da vítima.

    A lei de Deus é bem diferente da lei dos homens…Nós não devemos julgar ou condenar, segundo a lei divina, uma conduta que acreditamos ser reprovável; porém a lei do homem é clara….se a pessoa cometeu um ato tipicamente tido como crime, essa pessoa deve sim responder pelos seus atos.

    A confusão ou talvez a conveniência de se aplicar uma lei no lugar da outra é o grande problema de qualquer religião. O sacerdote, bispo, ou qualquer clérico que comete um crime segundo a lei dos homens deve responder aqui por eles. E isso em nada tem relação a lei divida de orarmos por essa alma perturbada e pedir a Deus que ilumine, daqui para frente, seus passos.

    A indiferença ou a não aceitação de que membros de uma instituição podem cometer crimes e não responder por eles; é o caminho mais rápido para a ela perca a sua credibilidade perante a sociedade.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s