AQUECER O CORAÇÃO

Talvez possa parecer redundante que todas estas colunas nos últimos dias falem sobre o mesmo tema: o NATAL.  Contudo, poderíamos passar o ano e muitos anos, falando e discorrendo sobre este assunto sem jamais esgotá-lo. Esta é a maravilha da Boa Nova de Cristo, uma notícia que não se esgota e encontra em cada coração um sentido novo a cada dia, quando este se propõe  a renovar o Amor a Cristo.

E assim procuraremos falar hoje sobre a importância que a Igreja dá a esta festa maior no seu calendário, ao lado da Páscoa, mas sem dúvida aceita num caráter tão universal que mesmo os não cristãos a celebram em algum sentido. Pela vinda de Cristo a Terra ocorreu um marco histórico, onde se dividiu o tempo ANTES e DEPOIS de Cristo. Nenhum outro personagem poderia receber tamanha importância histórica que permanece  há 2010 anos, completados este ano.

A chegada de Cristo, quer revelar a Igreja, como um recomeçar a toda humanidade que se faz concreta em cada ser humano. Ë a certeza de que todas as promessas passadas agora são uma esperança que já não se duvida, mas que se aguarda na certeza da fé vivida pelo exemplo do Amor encontrado em Jesus Cristo.

O que se espera no Natal, é que não permaneçamos somente com a visão histórica de Cristo, mas que ela se manifeste na atualidade presente de nossas atitudes, aqui no século XXI, nas circunstâncias em que vivemos, com suas dificuldades e facilidades, com nossas maiores ou menores limitações, que são superáveis pela alegria de poder mais uma vez ser convidado a participar  do nascimento do Menino na gruta de Belém.

Cristo não é simplesmente histórico, como querem alguns, mas é Deus que se faz Homem perfeito e que misteriosamente pela Eucaristia está conosco presente ao longo de todos os tempos. Portanto, o Natal não pode ser uma “recordação” de um fato ocorrido, mas tem que, necessariamente, significar a vivência do tempo de hoje. E aí se renova toda a fé e o coração rejubila-se de alegria porque, perdoados, somos novamente chamados a estar com Ele.

Estamos a pouco menos de dez dias do Natal. Aproveitemos para uma maior e melhor dedicação da nossa preparação pessoal. Que os ornamentos e luzes possam agora fazer parte das nossas ações em relação ao próximo, que se inicia pela própria família. Guardar o coração para a chegada. Guardar o coração para que Ele não tenha que permanecer batendo por toda noite, casa após casa e ir nascer novamente numa estrebaria.

Senhor! Que o meu coração esteja sempre pronto a acolhê-lo, ainda que com tantas imperfeições, mas com calor humano para que não passes mais nenhuma noite fria e ao relento.

Que isto possa ser uma proposta de propósito até a próxima semana.

Anúncios

Sobre vreginato

Casado e tem três filhos. Médico e Terapêuta de Família. Professor de Bioética, Históra da Medicina e Espiritualidade e Mediicna na Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), membro do Centro de História e Filosofia das Ciências da Saúde da Unifesp, Coordenador da Pastoral da Família da Paróquia Nossa Senhora do Brasil
Esse post foi publicado em Palavra da Igreja. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para AQUECER O CORAÇÃO

  1. Lutfe disse:

    Valdir, obrigado pelas palavras escritas, com certeza devemos falar muito sobre o Natal e estarmos preparados para receber Cristo diariamente em nosso coração, mas em especial no dia 25.

    Lutfe

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s