Quando trabalhar muito não é opção

Ola

Novamente peço desculpas a todos por mais um dia de atraso no post sobre trabalho e Temperança. Prometo me esforçar ao máximo para tê-lo na proxima semana.

Hoje quero abrir um espaço para aquelas pessoas de PRECISAM sacrificar suas familias por uma questão de sobrevivência. Explico: pessoas que precisam ter grandes jornadas de trabalho para que possam sustentar suas famílias. Farei isso descrevendo a história de uma jovem mãe que conheci em uma recente viagem, enquanto jantava em uma lanchonete. Conversamos rapidamente enquanto eu comia meu lanche e ela fazia a limpeza daquela parte do local. Infelizmente não tive tempo de perguntar-lhe seu nome, logo vamos chamá-la de Lia.

Durante nossa conversa falamos sobre familia, filhos e saudades. Eu argumentando que sempre é complicado ficar longe de casa pois as saudades sempre apertam e você tem que saber administrar, mesmo se essas ausências são raras.

Com um olhar tranquilo, porém triste, Lia vira-se pra mim e diz que é mãe de um bebê de 14 meses, e também sente muitas saudades dele pois o ve somente os fins de semana. Surpreso, questionei-a se ela não morava na cidade que trabalhava e com a afirmação que morava sim na cidade, veio a explicação: “Tenho 2 empregos: Trabalho durante o dia aqui na lanchonete e a noite como enfermeira. De segunda a sexta faço minhas refeições aqui e tomo meu banho no hospital. Volto pra casa somente nos fins de semana e divido este tempo com um curso que estou fazendo para conseguir um trabalho melhor e ficar mais tempo com ele”.

Fiquei gelado !! Quase instantâneamente, fiz a pergunta: “Mas, como você consegue ? “, ela me respondeu: “Sabe, eu tenho contas pra pagar e ele (o bebê) depende somente de mim”.

Não consegui responder mais nada a ela. A supervisora de Lia a chamou para continuar o trabalho em outro local, somente consegui desejar que este novo emprego chegasse logo. Ela agradeceu. Minutos depois a vi indo embora para seu segundo emprego.

Meditando sobre o assunto, lembrei-me do trecho de Eclesiastes 3,1-8 que diz:

  • Tudo tem seu tempo. Há um momento oportuno para cada coisa debaixo do céu:
  • Tempo de nascer e tempo de morrer; tempo de plantar e tempo de arrancar o que se plantou;
  • Tempo de matar e tempo de curar; tempo de destruir e tempo de construir;
  • Tempo de chorar e tempo de rir; tempo de lamentar e tempo de dançar;
  • Tempo de espalhar pedras e tempo de as ajuntar; tempo de abraçar e tempo de se afastar dos abraços;
  • Tempo de procurar e tempo de perder; tempo de guardar e tempo de jogar fora;
  • Tempo de rasgar e tempo de costurar; tempo de calar e tempo de falar;
  • Tempo do amor e tempo do ódio; tempo da guerra e tempo da paz.

Lia não busca “fama e fortuna” com sua longa jornada. Ela simplesmente lutava para vencer o dia-a-dia de sua vida, por ela e pelo seu filho. Este era o segredo da paz de Lia…. Não havia ai conflito de interesses para subir de cargo na empresa, ou o pensamento de fazer uma longa e bem sucedida carreira.

Se você está neste mesmo “tempo” de Lia, Coragem !! Sua recompensa chegará… O próprio Cristo nos diz:

Acaso uma mulher esquece o seu neném, ou o amor ao filho de suas entranhas?

Mesmo que alguma se esqueça, eu de ti jamais me esquecerei! Is 49,15

Até semana que vem…

Ola

Novamente peço desculpas a todos por mais um dia de atraso no post sobre trabalho e Temperança. Prometo me esforçar ao máximo para tê-lo na proxima semana.

Hoje quero abrir um espaço para aquelas pessoas de PRECISAM sacrificar suas familias por uma questão de sobrevivência. Explico: pessoas que precisam ter grandes jornadas de trabalho para que possam sustentar suas famílias. Farei isso descrevendo a história de uma jovem mãe que conheci em uma recente viagem, enquanto jantava em uma lanchonete. Conversamos rapidamente enquanto eu comia meu lanche e ela fazia a limpeza daquela parte do local. Infelizmente não tive tempo de perguntar-lhe seu nome, logo vamos chamá-la de Lia.

Durante nossa conversa falamos sobre familia, filhos e saudades. Eu argumentando que sempre é complicado ficar longe de casa pois as saudades sempre apertam e você que saber administrar, mesmo se essas ausências são raras.

Com um olhar tranquilo, porém triste, Lia vira-se pra mim e diz que é mãe de um bebê de 14 meses, e também sente muitas saudades dele pois o ve somente os fins de semana. Surpreso, questionei-a se ela não morava na cidade que trabalhava e com a afirmação que morava sim na cidade, veio a explicação: “Tenho 2 empregos: Trabalho durante o dia aqui na lanchonete e a noite como enfermeira. De Segunda a Sexta faço minhas refeições aqui e tomo meu banho no hospital. Volto pra casa somente nos fins de semana e divido este tempo com um curso que estou fazendo para conseguir um trabalho melhor e ficar mais tempo com ele”.

Fiquei gelado !! Quase instantâneamente, fiz a pergunta: “Mas, como você consegue ? “, ela me respondeu: “Sabe, eu tenho contas pra pagar e ele (o bebê) depende somente de mim”.

Não consegui responder mais nada a ela. A supervisora de Lia a chamou para continuar o trabalho em outro local, somente consegui desejar que este novo emprego chegasse logo. Ela agradeceu. Minutos depois a vi indo embora para seu segundo emprego.

Meditando sobre o assunto, lembrei-me do trecho de XXX que diz:

Tudo tem seu tempo. Há um momento oportuno para cada coisa debaixo do céu:

Tempo de nascer e tempo de morrer; tempo de plantar e tempo de arrancar o que se plantou;

Tempo de matar e tempo de curar; tempo de destruir e tempo de construir;

Tempo de chorar e tempo de rir; tempo de lamentar e tempo de dançar;

Tempo de espalhar pedras e tempo de as ajuntar; tempo de abraçar e tempo de se afastar dos abraços;

Tempo de procurar e tempo de perder; tempo de guardar e tempo de jogar fora;

Tempo de rasgar e tempo de costurar; tempo de calar e tempo de falar;

Tempo do amor e tempo do ódio; tempo da guerra e tempo da paz.

Lia não busca “fama e fortuna” com sua longa jornada. Somente levar o mínimo possivel ao seu filho e estar o mais perto possível dele. Coisas simples da vida que muitos de nós desprezamos hoje tem dia. Pois bem, você tem a opção de estar mais perto da sua familia do que você realmente está hoje em dia ?

Agora é com você !!

Anúncios

Sobre Marco

Marco é casado com Mariana e tem os pequenos Carol e Rafael. Ele é formado em Tecnologia da Informação, pós graduado em administração e trabalha há 14 anos no mercado corporativo de TI. Atua na Igreja Católica desde a adolescência, participando de grupo de jovens, ministérios de música e equipes de evangelização. Está na pastoral da familia da paróquia Nossa Senhora do Brasil desde 2007, atuando junto às familias e aos casais que buscam o matrimônio.
Esse post foi publicado em Familia&Trabalho e marcado . Guardar link permanente.

3 respostas para Quando trabalhar muito não é opção

  1. Pingback: Quando o pouco é muito « Casa de Familia

  2. Pingback: Longe dos olhos… « Casa de Familia

  3. Pingback: Um nome gravado na pedra | Casa de Familia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s