Chantagem emocional

Hoje, conversando com uma amiga professora, partilhávamos nossas dificuldades em lidar com chantagens emocionais de nossos filhos. Ambas concordamos que, desde pequenos, nossos filhos desenvolvem mecanismos emocionais que nos afetam de tal maneira que, muitas vezes sem percebermos, somos manipulados por eles. Ela me contava que tinha chamado a atenção da filha adolescente por ter tirado zero na prova de Química. Indignada com a filha – a menina não tinha ido mal na prova, ou tirado uma nota baixa; ela tinha recebido zero! –, chamou a atenção da filha para que priorizasse os estudos, reservando mais tempo para isso do que para TV e internet…

Qual foi a reação da garota? Escreveu um bilhete pedindo desculpas à mãe e dizendo que sabia que ela era um peso, que ela não deveria ter nascido, que ela somente decepcionava a mãe etc etc – vocês podem imaginar do que uma adolescente é capaz…

Minha colega, no dia seguinte, conversou com a filha, esclarecendo-lhe que ela não precisava apelar daquele jeito, que o amor que sentia por ela não tinha nada a ver com a decepção do desempenho na prova. Mas o fato é que, ao ler o bilhete antes de ir para a cama, minha amiga não conseguiu dormir direito, ficou chateada e até se sentiu culpada por ter chamado a atenção da filha.

E então reflitamos: como uma criança ou um adolescente podem saber o quanto somos sensíveis e o quanto somos responsáveis diante da educação/formação que devemos desempenhar na vida deles, a ponto de – ainda que inconscientemente – fazerem este tipo de chantagem emocional? Como devemos lidar com isso? No fundo, ao fazerem isso, eles querem transferir parte da culpa que têm pelo ato errado que cometeram e pelo qual estão sendo cobrados para nossa sensibilidade de mães e pais amorosos. E como é difícil nessas horas permanecer firmes em nossa posição diante do erro. Amamos nossos filhos, mas não aprovamos determinados comportamentos e por isso os corrigimos. Separar objetivamente uma coisa da outra é fundamental para o amadurecimento afetivo deles. É importante lembrar que também nós precisamos estar seguros diante disso para não nos alterarmos e elevarmos a voz ou exagerarmos na maneira de chamar a atenção. Se falamos com raiva, também aqui a “culpa” é dividida e os filhos deixam de olhar para o próprio erro para aceitarem que já estão sendo punidos pela nossa agressividade e tudo pode ficar por isso mesmo.

Que Deus nos inspire a sermos firmes e amorosos. Que, diante do erro, não tenhamos receio de corrigir. E que, diante das chantagens emocionais muitas vezes inconscientes de nossos filhos, não nos sintamos culpados e afetados. Objetividade e “cabeça fria” valem muito nessas horas…

Abraços,

Cristiane

About these ads

Sobre Cristiane

Cristiane é casada há 12 anos, tem 2 filhos e 1 filha. Atuante na Igreja desde sua juventude, participou de grupos de jovens (em Marília e Campinas, SP), Pastoral Universitária (em Campinas, SP) e Pastoral Familiar (em Niterói, RJ). Formada em Letras e Linguística, no momento trabalha como revisora de livros e artigos e como professora de redação.
Esse post foi publicado em Pais+Filhos. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Chantagem emocional

  1. alnice disse:

    com certeza precisamos ser firmes,chamar a atenção sempre que necessário e até algum castigo não vai interferir no amor entre fihos e pais,porque no futuro eles entenderão.Pior será se deixarmos à vontade,fazerem o que vier na cabeça.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s